Grêmio perde mando de campo na final da Copa do Brasil

carol2-1
Carol com o pai, Renato Gaúcho, na invasão da Arena Grêmio. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

A entrada de Carol Portaluppi, filha do técnico Renato Gaúcho, no gramado da Arena do Grêmio após o final da partida contra o Cruzeiro, válida pela semifinal da Copa do Brasil, custou caro ao clube gaúcho. Nesta quarta-feira (16), o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu punir o Tricolor do Rio Grande do Sul com a perda do mando de campo no segundo e decisivo jogo final da competição, programado para o dia 30 de novembro, contra o Atlético-MG.

Nos instantes finais da partida, com a classificação do Grêmio praticamente assegurada, Renato Gaúcho chamou a filha para entrar em campo. Carol estava no túnel da zona mista da Arena e foi levada ao gramado por um segurança, sentando no banco de reservas para esperar o fim do jogo. Após o apito final, ela adentrou o campo de jogo para comemorar a vaga do Grêmio à decisão.

Inicialmente, no julgamento desta quarta-feira, dois auditores do STJD votaram somente pela aplicação de uma multa para o clube no valor de R$ 30 mil. No entanto, um terceiro auditor solicitou a perda do mando de campo, levando os demais a acompanhar o pedido para tirar o segundo jogo da final da Arena do Grêmio.

De acordo com a denúncia do Procuradoria do STJD, o Tricolor gaúcho foi enquadrado no artigo 213, inciso II do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) por “deixar de prevenir e reprimir invasão de campo ou local da disputa do evento”. O Grêmio informou que vai recorrer da decisão do pleno do Tribunal.

 

} else {

Fonte:

Deixe um comentário