Greenpeace protesta em frente ao Palácio do Planalto

Foto: Reprodução

Um grupo de ativistas ambientais ligados ao Greenpeace realizou nesta quarta-feira (23), uma manifestação em frente ao Palácio do Planalto. O ato simulou as manchas de óleo que, desde setembro, surgiram no litoral nordestino e as queimadas que atingem a Amazônia.

Os manifestantes ocuparam duas faixas da via em frente à sede do governo e levaram troncos de árvores queimadas e motoserras para representar o desmatamento, além da tinta que foi derramada na pista, barris e animais de pelúcia cobertos de manchas.

Cerca de 20 pessoas participam do ato contra a política antiambiental do governo de Jair Bolsonaro (PSL). O porta-voz do movimento para questões sobre clima e energia, Tiago Almeida, afirmou que o objetivo foi “chamar a atenção das autoridades e da população para a importância da gestão responsável dos recursos ambientais”.

Foto: Reprodução

De acordo com Tiago, o governo de Bolsonaro incentivou as queimadas e demorou para adotar medidas para proteger a floresta Amazônica e agora, age de forma “ineficiente e desordenada” para limpar as praias do Nordeste, “deixando muito da responsabilidade nas costas da população afetada, que está se arriscando”, acrescentou.

Após quase duas horas, a Polícia Militar determinou que os manifestantes deixassem o local e levou integrantes do grupo para a delegacia.

Deixe um comentário