Governo não vai parar nem diminuir o Bolsa Família, diz Dilma no DF

dilma_df_entrega29102015_122
 
Presidente afirmou ainda que benefício não deixará de ser pago em dia. Ela disse que há rumores e conversa que não é séria sobre o Bolsa Família
 

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira (29), em evento de entrega de residências do Minha Casa Minha Vida no Distrito Federal, que o governo não vai parar nem diminuir o benefício do programa Bolsa Família.

Na semana passada, o relator do projeto do Orçamento da União para 2016, deputado Ricardo Barros (PP-PR), disse que iria propor o corte de R$ 10 bilhões no Bolsa Família, como parte da tentativa de reduzir os gastos do governo e evitar déficit na peça orçamentária. O Executivo enviou ao Congresso um orçamento com rombo previsto de R$ 30 bilhões.

Dilma, que já havia criticado a ideia de fazer cortes no Bolsa Família, afirmou no DF que há muita conversa, “que não é séria”, a esse respeito.

“Vocês podem ter certeza, o governo federal não vai parar o Bolsa Família, ou diminuir o Bolsa Família, ou não pagar em dia”, disse a presidente. “Muita conversa, que não é uma conversa séria, que é do boato, aparece. Eu estou aqui dizendo para vocês. O Bolsa Família não vai ser interrompido. O Minha Casa Minha Vida não vai ser interrompido”, completou Dilma.

A presidente já havia criticado a proposta de reduzir verba do Bolsa Família. Um dia após a delaração do relator, ela escreveu no Twitter que cortar cortar recursos do programa é “atentar contra 50 milhões de brasileiros”.

Depois, Ricardo Barros afirmou ao G1 que se  Dilma quer evitar o corte, precisa enviar ao Congresso um Orçamento equilibrado, com previsão “consistente” de receitas.

‘Grande esforço’
No discurso desta quinta, Dilma afirmou ainda que o governo está fazendo “um grande esforço” para reduzir despesas. Ela fez referência à reforma administrativa anunciada pelo governo no mês passado.

“É importante vocês saberem que a gente está fazendo um grande esforço. No governo federal, nós estamos reduzindo aquelas despesas que a gente pode reduzir. Por exemplo, nós reduzimos oito ministérios, 30 secretarias, estamos cortando cargos em comissão, inclusive reduzimos nosso próprio salário”, disse a presidente.


Leia mais:


Quase metade dos deputados defende renúncia de Cunha, diz Datafolha


Em reunião do PT, Lula defende ajuste fiscal para governo recuperar prestígio


Governo propõe venda de 32 terrenos públicos desocupados


 

Fonte: ,

Deixe um comentário