Governo Dilma ficou rachado sobre manobra contábil

Sabe-se agora que o governo rachou quando foi decidido fazer a manobra contábil para atingir o superávit primário. A tese foi vencida por integrantes da equipe econômica, que avaliava que era preciso manter a todo custo o compromisso de fazer a economia para pagar juros da dívida pública e tentar manter sua trajetória de queda, relativo ao ano de 2012.
Mas essa decisão não foi consenso no governo. Um auxiliar direto da presidente Dilma Rousseff que participou dos debates internos revelou que um grupo influente do governo era contra a manobra contábil. Essa grupo defendia um superávit primário menor, de 2% do PIB.Fonte: G1-blog do camarotti 
Ao pé do rádio

Deixe um comentário