Governo de Rondônia censura 43 obras literárias

O governador de Rondônia, coronel Marcos José Rocha dos Santos (PSL), reedita, à revelia da Constituição Federal, o Ato Institucional nº 5 (AI-5), e põe em curso a censura no estado. Nesta quinta-feira (6), emitiu um memorando-circular mandando excluir do currículo escolar e recolher das unidades escolares da rede pública de ensino importantes obras literárias brasileiras que sempre fizeram parte do rol de livros paradidáticos da educação do País.

Todas as obras vetadas fortalecem e estimulam o pensamento crítico dos jovens em formação. O gesto autoritário e fundamentalista risca das aulas de Literatura, livros considerados obras-primas, como “Macunaíma”, de Mário de Andrade; “Poemas Escolhidos”, de Ferreira Gular; e todos os volumes de “Mar de Histórias”, de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira.

O livro “O melhor de”, de Caio Fernando Abreu, encabeça a lista de 41 obras proibidas. Os estudantes rondonienses não poderão mais ler clássicos de autores como Rubem Fonseca, Carlos Heitor Cony, Nelson Rodrigues, entre outros. 


Deixe um comentário