Gestão Pública. O que você tem com isso?

Má aplicação dos recursos públicos resulta em situações como esta no Sol Nascente, em Ceilândia, onde o esgoto corre a céu aberto pela rua, pondo em risco a súde da população, especialmente das crianças. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Má aplicação dos recursos públicos resulta em situações como esta no Sol Nascente, em Ceilândia, onde o esgoto corre a céu aberto pela rua, pondo em risco a súde da população, especialmente das crianças. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Zilta Marinho

 

Todos os dias os jornais trazem informações desanimadoras sobre o Brasil. Corrupção, inflação crescente, corte de verbas para educação, caos na saúde e tantos outros problemas que revelam má gestão e falta de compromisso de muitos gestores públicos. Mas isso não deveria ocorrer.

Na edição 241, da semana passada, o Brasília Capital publicou uma entrevista exclusiva com o Diretor-Executivo do Fundo de Saúde do Distrito Federal, Ricardo Cardoso. A matéria destacou, como manchete de capa, que a cura da Saúde do DF pode estar na melhora da gestão dos recursos.

Nossa reportagem aproveitou para verificar os instrumentos legais disponíveis na legislação brasileira para facilitar o trabalho dos agentes públicos e tornar mais transparente o seu controle pela sociedade.

Existe o Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização, o GesPública. Ele foi instituído pelo Decreto nº 5.378 de 23 fevereiro de.2005. É uma iniciativa do governo federal para a promoção da gestão pública de excelência. Seu objetivo é contribuir para a qualidade dos serviços públicos prestados ao cidadão e para o aumento da competitividade do País.

_MG_8583
Ricardo Cardoso, diretor do Fundo de Saúde do DF, aponta a gestão como saída para a crise no setor

O GesPública define o perfil de competências dos gestores públicos no Brasil, que compreende visão sistêmica, competência técnica, compartilhamento de informações e conhecimentos, orientação para resultados, comportamento inovador, liderança de equipes e gestão de pessoas.

Há muitos servidores públicos com essas e outras competências e que são avaliados em vários quesitos periodicamente. Mas, você, caro leitor, quando vai escolher considera alguma dessas competências em seus candidatos?

A carioca Fabiana Polain não se lembra, mas Márcia Torres de Brasília sim. Márcia estava de mudança de Mato Grosso para Brasília e não votou para presidente em 2014. Entretanto, para prefeito votou num amigo cuja competência conhecia e, apesar de seu candidato não ter sido eleito, ela continua a acompanhar o trabalho dele.

Simone de Souza Santos, do Rio de Janeiro, conta que votou no PT na penúltima eleição. Mas completa: “na última, depois de avaliar os candidatos, resolvi anular o voto, por falta de opção”. Considera que a atual gestão “piorou muito o país”.

Este ano, em meio a Olimpíadas, denúncias, Lava-jato, impeachment, recessão e tantos outros problemas, ainda haverá eleições municipais. No DF, só em 2018. Mas é preciso acompanhar os cenários nacional e a local para uma escolha que ajude o país e a cidade a retomar o crescimento.

O Brasília Capital convida você, leitor, a observar e avaliar os gestores públicos considerando os requisitos estabelecidos no programa de excelência estabelecido pelo próprio governo. Veja o quadro. Talvez você não possa observar tudo, mas, dentro de suas possibilidades, avalie os gestores de sua cidade e estado e mande sua percepção para [email protected], comente em nossa página no Facebook ou envie WhatsApp para (61) 9861-7613.

Vamos acompanhar com você o que tem sido feito e o que pode ser melhorado. Ao longo do ano, vamos conversar com os brasileiros sobre essa busca por bons gestores, porque, com o seu voto, você tem o poder para melhorar o país.

 

 

Quadro – Requisitos para avaliação – GesPública

Visão Sistêmica:Identifica o papel e as interfaces entre áreas envolvidas nos processos, demonstrando visão institucional;
Estabelece a interlocução com outras áreas e/ou instituições, identificando oportunidades para o desenvolvimento de ações integradas;
Visualiza o resultado a ser alcançado, conhecendo as diferentes etapas do processo e os impactos de suas ações no todo.
Orientação para os resultados:Planeja seu trabalho, identificando os possíveis riscos e oportunidades, a fim de garantir os resultados pactuados;
Defini metas precisas alinhadas aos objetivos institucionais, estabelecendo estratégias para o alcance dos resultados;
Age e toma decisões orientadas pelos resultados, comprometendo-se com as metas e prazos estabelecidos;
Desenvolve o trabalho com qualidade, priorizando as ações em função dos resultados.
Liderança de Equipes:Obtém o comprometimento da equipe na execução das ações, para o alcance dos resultados;
Promove a efetiva integração da equipe, transmitindo os valores institucionais;
Dá autonomia para a realização dos trabalhos, considerando o nível de maturidade de cada membro da equipe, monitorando os resultados;
Mobiliza os membros da equipe, evidenciando a importância da contribuição de cada um para o alcance dos objetivos comuns.
Compartilhamento de Informações e Conhecimento:Comunica-se de forma clara e coerente com o público interno e/ou externo, contribuindo para o alcance dos resultados institucionais;
Compartilha informações e conhecimentos nas situações de trabalho promovendo a troca de experiências e disseminação de boas práticas;
Gerencia a organização das informações e dos conhecimentos, disponibilizando-os nos meios adequados.
Gestão de Pessoas:Aloca os membros da equipe nas atividades específicas, considerando suas competências individuais, para o alcance dos resultados;
Dialoga com os servidores, seja militares ou civis, para identificar seus pontos de melhoria, estimulando-os a buscar o desenvolvimento das competências requeridas;
Reconhece e valoriza as pessoas, incentivando a permanência dos talentos no exercício das atividades;
Soluciona os problemas e conflitos, com impessoalidade e flexibilidade, proporcionando um ambiente de trabalho saudável.
Comportamento Inovador:Apresenta propostas e/ou soluções inovadoras para a execução dos trabalhos, agregando valor aos resultados institucionais;
Valoriza a cultura de inovação, criando espaços que estimulem a proposição de ideais e aplicação de boas práticas nas situações de trabalho;
Aplica seus conhecimentos no aperfeiçoamento dos processos de trabalho para obtenção dos resultados.
Competência Técnica:Possui conhecimentos técnicos da área de atuação, aplicando-os para o alcance dos resultados;
Monitora a execução dos trabalhos sob sua responsabilidade, assegurando a entrega dos resultados;
Gerencia os recursos disponíveis com eficiência, buscando resultados na sua utilização.

 


Depois de 120 dias, Rollemberg segue atacando a gestão passada


Os avanços do Brasil em 12 anos da gestão PT


TCDF detecta falhas no Nota Legal durante gestão Agnelo


 

Fonte:

Deixe um comentário