Frustração: Evite-a ou livre-se

Não chore, minha filha! Não chore! A vida é luta, é árdua, mas é assim que você chega ao topo. Entre as causas atuais de suicídio, uma das mais importantes é a baixa tolerância à frustração.

Mas, por que ela causa tanto sofrimento a ponto de provocar desespero? É simples: As pessoas acham que o que buscam é o melhor, ou que os bens que possuíam e as pessoas da convivência eram tudo de bom, para sempre.

A verdade é que somos ignorantes. Nada sabemos do dia de amanhã; apenas imaginamos e nos apegamos demasiadamente ao transitório e, por isso, sofremos. A única certeza da vida é a mudança. Tudo é impermanente, ensinou Heráclito.

Mestre Buda colocava o desejo como a maior causa de sofrimento. Ele errou. Como podemos nos empenhar para conseguir algo ou realizar sem desejo? Sim, quando conseguimos ficamos felizes, e somente quando não conseguimos sofremos, porque advém a frustração, exceto para os que creem na sua programação existencial.

Neste caso, luta-se para buscar ou realizar algo como se fosse o melhor, mas sem esquecer o “como se”. Agindo assim, não há frustração, porque há a consciência de que não sabemos. “Caminhe, até que não haja mais nem o caminho e nem o caminhante. Só haja o caminhar”, ensinam os mestres do Oriente.

Faça um retrospecto na sua vida e veja que muita coisa que não conseguiu, que perdeu ou despareceu, foi o melhor que poderia ter acontecido.

Miguel Falabela viajou para a França com o intuito de morar lá. Encaminhado a um médium por um amigo, este lhe falou: “volte pra sua Terra; depois de uma semana aparecerá alguém que lhe oferecerá emprego e sua vida deslanchará”.

Exatamente assim aconteceu, atesta Miguel. Isto é programação existencial que algumas raríssimas pessoas têm acesso e permissão pra falar.

Não entre ou saia desta onda de frustração. Confie na vida! Viva o momento presente e siga com Mestre Emmanuel: “Quem faz bem feito suas pequenas tarefas, certamente será convocado para as grandes tarefas”.

Capacite-se: “Sorte é quando a capacidade encontra a oportunidade”.

Deixe um comentário