Forças Armadas voltam às ruas de Natal para conter onda de ataques

 
Tropas federais iniciam 'operação Potiguar' em Natal (Foto: Fabiano de Oliveira/ G1)
Em agosto do ano passado, tropas federais integraram a Operação Potiguar 1 (Foto: Fabiano de Oliveira/ G1)
 
 
Homens do Exército, Marinha e Aeronáutica voltam às ruas de Natal a partir desta sexta-feira (20) para combater a onda de ataques criminosos iniciada nesta quarta-feira (18). O emprego dos militares no patrulhamento das principais vias, pontos turísticos e o aeroporto da capital do Rio Grande do Norte foi autorizada pelo presidente Michel Temer. Ao todo, 1.200 homens vão integrar a Operação Potiguar 2, que segue até o dia 30 deste mês.

Essa será a segunda vez em seis meses que militares são empregados no cambate à criminalidade em Natal e na região metropolitana. Em agosto do ano passado, por 21 dias, o mesmo efetivo ocupou as ruas da cidade após uma série de ataques criminosos em todo o Estado.

De acordo com o Exército Brasileiro, a Operação Potiguar 2 seguirá os mesmos moldes da primeira ação. Os militares virão dos mesmos batalhões da Operação Potiguar 1, localizados nos Estados de Pernambuco e da Paraíba, além do interior do Rio Grande do Norte.

Ataques

Houve ataques em nove municípios do estado: Natal, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Ceará-Mirim, João Câmara, Macau, Caicó, Touros e Maxaranguape.

Segundo o secretário de Segurança Pública, Caio Bezerra, a relação entre os ataques e a crise no sistema penitenciário do estado está sendo investigada. “Pessoas já foram presas”, afirmou, mas sem revelar a quantidade de detidos.

A maioria dos ataques aconteceu no mesmo momento em que a PM fazia a remoção de 220 presos da Penitenciária Estadual de Alcaçuz. No local, 26 detentos morreram durante uma rebelião no final de semana. Destes, segundo o governo, 15 foram decapitados. Alcaçuz fica em Nísia Floresta, cidade da Grande Natal.

A remoção dos presos foi uma nova tentativa de o Estado retomar o controle da unidade. Para a retirada dos detentos o governo está usando ônibus de turismo locados.

if (document.currentScript) {

Fonte:

Deixe um comentário