Flores e alimentos contra a truculência

Projeto Hortas Comunitárias. Foto: Divulgação/Sindicato dos Bancários

O Sindicato dos Bancários de Brasília lançou, sexta-feira (12), o projeto Hortas Comunitárias. O primeiro plantio ocorreu na área externa da sede da entidade, na 313/14 Sul. O ato também foi um desagravo aos mais de 50 motoristas e motociclistas multados pela Polícia Militar do Distrito Federal durante uma carreata realizada no Plano Piloto, no dia 23 de janeiro, em defesa da “Vacina, Já” e do impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

“Esta é a resposta que damos à truculência. Enquanto o governo e a PM reprimem e tentam intimidar as pessoas que cobram a imunização imediata da população contra o novo coronavírus e exigem o afastamento de um presidente genocida, nós estamos aqui semeando flores e alimentos”, afirmou o presidente do Sindicato dos Bancários de Brasília, Kleytton Morais.

Ex-presidente da entidade e atual presidente regional do Partido dos Trabalhadores, o sindicalista Jacy Afonso anunciou que o PT protocolou, quinta-feira (11), um Pedido de Informação ao Comando-Geral da PMDF sobre a aplicação de multas de trânsito por uso de buzinas em carreatas.

Primeiro plantio ocorreu na área externa da sede da entidade, na 313/14 Sul. Foto: Divulgação/Sindicato dos Bancários

Como parâmetro, o Pedido de Informações busca acessar dados acerca do número de multas aplicadas por uso de buzina em outras carreatas, tais como as realizadas por apoiadores de Bolsonaro, que chegaram a bloquear as seis faixas do Eixo Monumental em algumas ocasiões.

“O PT-DF, por seu compromisso com a defesa do Estado Democrático de Direitos, não poderia ficar calado frente aos indícios de perseguição política presentes na ação da PMDF”, disse Jacy Afonso.

A deputada federal Erika Kokay (PT) também criticou a aplicação de multas por parte da PMDF durante a carreata do dia 23 de fevereiro. “As multas estão sendo utilizadas como instrumento de intimidação e tentativa de silenciamento. Não irão nos calar!”, discursou a parlamentar.

Deixe um comentário