Final da Libertadores não será no Chile

Foto: Divulgação/@libertadoresbr

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou nesta terça-feira (5), após uma reunião organizada na sede da entidade, que a final da Copa Libertadores vai ser transferida do Estádio Nacional de Santiago, no Chile, para o Estádio Monumental em Lima, no Peru.

A data está mantida para o dia 23 de novembro, às 17h (horário de Brasília). A decisão foi tomada com a presença de dirigentes dos times finalistas, Flamengo e River Plate, que disputarão o título em jogo único. Também estavam no encontro os presidentes da CBF, Rogério Caboclo, e da AFA, Claudio Tapia.

A alteração ocorreu em decorrência dos protestos violentos que abalam o Chile há mais de três semanas e que tornaram impossível a manutenção do plano original. A capacidade para 80 mil pessoas do Estádio Monumental também pesou na escolha, são 30 mil a mais que do Estádio Nacional de Santiago, no Chile.

O governador Ibaneis Rocha (MDB) propôs no mês passado que o Estádio Nacional Mané Garrincha fosse uma alternativa à Conmebol para sediar a final da Libertadores, porém essa opção não se tornou viável, porque um dos times finalistas é brasileiro.

“A escolha do novo palco se apoia no oferecimento do governo do Peru, nas garantias de segurança. A decisão foi um consenso com os presidentes de Flamengo e River Plate, das confederações da Argentina, Brasil e Chile, e dessa forma se manteve a política de realizar as finais únicas em diferentes países”, afirmou a Conmebol em nota.

Deixe um comentário