Fábio Júnior, o Barba Azul

Cantor milionário, Fábio Júnior está no rumo de conquistar o campeonato brasileiro de virilidade sexual. Já casou sete vezes com mulheres lindas, sem contar com as conquistas não registradas em cartório, na base do “Caiu na rede, é peixe!”. Também, não é para menos. Com aquela cara de filhinho desmamado, ele continua incluindo ao vivo a oferta de beijinhos na boca (selinho), escolhendo e chamando ao palco uma beldade entre as milhares de fãs que comparecem em massa aos seus shows.

De beijinho em beijinho, a primeira candidata foi Tereza de Paiva Coutinho, em 1976, quando Fábio tinha apenas 23 anos, mas já irradiava brilho de astro com sua voz pequena, porém afinadíssima, conquistando o público com a letra e música de sua autoria “Pai”, que fez muita gente chorar, inclusive o aprendiz de escriba que rabisca esta croniqueta.  O idílio durou até 1979, quando o cantor conheceu a atriz Glória Pires, com quem passou a habitar sob o mesmo teto, oficializando a relação em 1981, matrimônio que durou três anos, deixando como herança a filha Cléo.

No troca-troca amoroso, o Barba Azul paulistano só receberia uma bronca legal de sua terceira consorte, a jovem atriz e apresentadora catarinense Patrícia de Sabrit, então com 26 anos. Depois de um namoro-relâmpago que duraria 40 dias, casaram-se em 27 de janeiro de 2001. Três meses depois, Patrícia deu um chute no traseiro de Fábio. Motivo: o assanhado maridinho caiu na esbórnia e sumiu de casa por três dias.

Pelo mesmo motivo de Patrícia, a bela carioca Guilhermina Guinle morria de ciúmes do marido, mas bateu o record de tolerância conjugal ao ser   chifrada por seis anos consecutivos, de 1992 a 1997. Em compensação, casada em 2001, Cristina Karthalian ganhou o título de esposa parideira. Ela é a mãe de três dos cinco filhos: Fiuk, Krízia e Tainá, além de Cléo e Zaion.

 A charmosa bancária Maria Fernanda Pascucci, 37, é a sétima que compareceu diante de um Juiz de Paz, a 21 de novembro último, em São Paulo. Por mera coincidência, no mesmo dia o cantor comemorava 63 anos de idade. E aproveitou para garantir que será o seu último casamento, justificando:

– Não sou mulherengo. Sou um homem de uma só mulher.

Pura verdade! Halterofilista sexual, Fábio Júnior faz amor com uma só mulher de cada vez, incluindo as namoradinhas avulsas.

if (document.currentScript) {

Fonte:

Deixe um comentário