Existe mesmo renovação política?

(foto) e Liliane Roriz são os únicos distritais que não tomaram posição sobre as próximas eleições. Foto: Júlio Pontes

A renovação política é assunto para praticamente todos os pré-candidatos. Aqueles que ainda não conseguiram mandatos se aproveitam do mau momento da classe política no País para surfar na onda, apresentando-se como “novidade”. Mesmo quem já ocupa cargo eletivo fala em “renovação de ideias” para uma suposta “nova política”.

Porém, como diz o ditado, contra fatos não há argumentos. Na Câmara Legislativa, dos 24 atuais deputados, dezesseis devem tentar a reeleição; seis disputarão cargos no Congresso Nacional; e dois ainda não se decidiram, mas provavelmente estarão na disputa – (PDT) depende do seu partido e Liliane Roriz (Pros) ainda não tem posicionamento.

Na Câmara dos Deputados, dos oito eleitos em 2014, cinco querem voltar na próxima legislatura, dois serão candidatos a cargos majoritários. Izalci (PSDB) é pré-candidato ao governo e (DEM) ao Senado. Ronaldo Fonseca (Pros) assumiu recentemente a secretaria-geral da Presidência da República e não concorrerá.

Para cargos majoritários, a tendência é a mesma: os dois senadores que encerram seus mandatos este ano querem permanecer no Congresso. Cristovam Buarque (PPS) é pré-candidato a reeleição e Hélio José (Pros), que herdou vaga de , almeja a Câmara Federal. O governador também pretende se reeleger.

 

Saiba +

Em 2014, metade dos 24 distritais eleitos em 2010 se mantiveram no cargo. (PP) se elegeu deputado federal. Dos onze que ficaram sem mandato, Arlete Sampaio (PT), Paulo Roriz (PSDB), Cabo Patrício (PDT)e Washington Mesquita (PTB) tentarão voltar à CLDF. Olair Francisco (PP) se lançará para federal, enquanto Eliana Pedrosa (Pros) e (PTB) disputarão, juntos, os cargos de governadora e vice, respectivamente.Doutor Michel hoje é conselheiro do Tribunal de Contas do DF. Apenas Evandro Garla, Benedito Domingos e Aylton Gomes não disputarão as eleições.

Fonte:

Deixe um comentário