Ex-deputado responderá em liberdade por ter mandado matar adolescente

Carlos Xavier foi o primeiro deputado a ter o mandato cassado na Câmara Legislativa. Foto: Reprodução

O ex-deputado distrital Carlos Xavier responderá em liberdade pelo crime de assassinato a que foi condenado em 2014. Ele é acusado de matar, em 2004, um jovem que supostamente seria amante de sua mulher. A decisão de libertar o ex-parlamentar foi do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Primeiro parlamentar a ter o mandato cassado na Câmara Legislativa, o ex-deputado, que trocou o nome de Adão para Carlos Xavier, estava foragido desde setembro de 2016, quando o ministro Félix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou que ele cumprisse a pena imediatamente.

À repórter Manoela Alcântara, do portal Metrópoles, o advogado de Carlos Xavier, ex-Adão, disse que a decisão do STF “é mais um alívio”. Mas ressaltou que “o processo não terminou. Ainda existem recursos normais contra a decisão. O Ministério Público ainda pode recorrer”.

No STF, os advogados alegaram que a sentença condenatória de primeiro grau concedeu o direito de Carlos Xavier, ex-Adão, recorrer em liberdade.}

Deixe um comentário