EUA e Europa têm prejuízos com aeroportos ociosos

Na Espanha, apenas oito dos 47 aeroportos da operadora Aena são lucrativos. Nos Estados Unidos, aeródromos deficitários pesam nas contas públicas e podem ser fechados

Aeroporto de Huesca na Espanha

Aeroporto de Huesca, na Espanha: oito passageiros por dia é o fluxo médio no local ( Josep Lago/AFP)
Transformar aeroportos pequenos em negócios lucrativos é um desafio até mesmo em países onde a infraestrutura de transportes está longe de ser um problema. A desaceleração econômica – e também a recessão – provocadas pela crise financeira fizeram com que muitos aeródromos regionais se transformassem em elefantes brancos mundo afora. Na Espanha, a principal operadora aeroportuária do país, a estatal Aeropuertos Españoles y Navegación Aérea (Aena), anunciou no início de 2012 que apenas oito operações aeroportuárias eram lucrativas – de um total de 47. Nos Estados Unidos, muitos aeroportos regionais se transformaram em fardo para os municípios – e mais de 100 empreendimentos poderão ser fechados em 2013 quando o Congresso americano votar os cortes de gastos, em abril.
Fonte: Veja Online
Extratos dos Jornais

Deixe um comentário