Estudantes reclamam da demora na entrega do Passe Livre

Embora as aulas tenham começado há três meses, apenas na quarta-feira (17) foi entregue a segunda via do passe livre estudantil a boa parte dos alunos das redes pública e privada. É caso de Hudson Oliveira, de 16 anos, que estuda no Centro Educacional 3 de Sobradinho, que gasta R$ 400 por mês com passagens de ônibus. Os usuários do cartão reclamam da demora em receber resposta do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) e da burocracia para conseguir o passe.

Hudson se deslocou de Sobradinho para a Rodoviária do Plano Piloto, onde fica o posto do DFTrans, acompanhado da avó Maria do Socorro, de 71 anos. “Tem muito tempo que estou atrás desse cartão. Antes, era muito mais fácil de conseguir. Eles demoram a responder quando você manda e-mail. O acompanhamento do cadastro no site do DFTrans é uma eternidade”, reclama Hudson.

Filas para Passe Livre Estudantil no DFTrans da Rodoviária Foto: Gustavo Goes

Apesar de não ter perdido o cartão, Elizabeth Barbosa, de 34 anos, viveu o mesmo problema para obter a segunda via do Passe Livre Estudantil para o filho Herick Barbosa, de 13 anos. O cartão foi bloqueado e eles não souberam o motivo. Diariamente, o custo com as passagem de ônibus é de R$ 16 para o garoto se deslocar de casa até a escola e o cursinho, no Recanto das Emas.

Ketlen Araújo Sabino, de 19 anos, esperou quatro meses pelo seu Passe Livre Estudantil. Da sua casa, em Ceilândia, até o campus Darcy Ribeiro, na Asa Norte, onde cursa Gestão de Políticas Públicas na Universidade de Brasília, o gasto diário com passagens é de R$ 16. Ketlen perdeu o cartão no final do ano passado.

“Enviei a mesma papelada por três vezes. Na primeira não foi aprovada. Enviei novamente e não deu certo. Quando enviei pela terceira vez a mesma papelada, eles aprovaram. Eles demoram muito a responder os e-mails”, completa.

Mudanças

O Passe Livre Estudantil atualizou o sistema no início do ano para desburocratizar o cadastro, no qual o aluno disponibiliza o CPF, nome, data de nascimento, contato, endereço completo e dados da instituição de ensino. Porém, além destas informações, o aluno precisa anexar uma série de documentos escaneado e, segundo os usuários, é aí onde mora o problema, já que o DFTrans por vezes demora mais que os 10 dias úteis para entrar em contato com o estudante.d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);

Fonte:

Deixe um comentário