Estudantes de escolas públicas e privadas do DF plantam mudas de árvores no Pipiripau

 

O objetivo é sensibilizar crianças e jovens sobre a importância das árvores do cerrado para a conservação do bioma.  Foto: Tony Winston/Agência Brasília

 

 

Até o fim de dezembro, 1,2 mil mudas terão sido plantadas em 12 propriedades na Bacia do Pipiripau, em Planaltina. Estudantes de escolas públicas e privadas são os responsáveis pelos plantios, que começaram no início de novembro. Os alunos integram o projeto Pede Planta, gerenciado pelo Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe-DF). O governo de Brasília apoia a iniciativa, que tem o objetivo de sensibilizar crianças e jovens sobre a importância das árvores do cerrado para a conservação do bioma.

Entre os parceiros está a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico (Adasa), que assumiu o transporte das crianças das escolas até as propriedades, além de fazer a ponte entre os produtores rurais e o projeto. A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF) leva as mudas dos viveiros escolares até as propriedades dos Produtores de Água do Pipiripau e membros da Associação de Produtores Agroecológicos. Já a Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural faz covas (ou os berços) das plantas, com o auxílio de trator.

 

Abastecimento d’água

Parte das 1,2 mil mudas foi plantada na última quinta-feira (7) por alunos do Centro de Ensino Fundamental 2 da Estrutural, um dos seis colégios que participam da ação no Pipiripau. “Quando eu vier novamente, daqui uns anos, espero que elas (as árvores) estejam crescidas e dando frutos”, comentou o estudante Luan Marques Evangelista de Sousa, de 10 anos. A assistente técnica da Adasa Louise Amand Kaiser, que acompanhou as crianças, ressaltou a importância da região hídrica para o DF, uma vez que o Rio Pipiripau abastece com água potável Planaltina e Sobradinho. Segundo ela, com as novas plantas, o ambiente ficará mais úmido, reduzindo a erosão do solo, o que favorece a infiltração da água. “Isso ajuda a abastecer os lençóis freáticos durante a seca.”

Além das 1,2 mil mudas plantadas pelas crianças, outras 3,8 mil serão entregues aos agricultores da região para que eles próprios façam o plantio. Os produtores têm a responsabilidade de cuidar das espécies plantadas. O gestor do Pede Planta, Erli Ferreira Gomes, destaca que o apoio do governo ajudou a alavancar o projeto. “Nós produzíamos mudas e não tínhamos onde plantar, agora sabemos que serão bem cuidadas.” Gomes é diretor do Colégio do Sol, no Lago Norte, instituição que criou o projeto em 2008.

Em quase 10 anos, o projeto Pede Planta construiu 20 viveiros, sendo 17 deles em escolas do DF. Em 31 de julho deste ano, o Sinepe-DF assinou um protocolo de intenção com a Adasa para o plantio das 5 mil mudas na bacia hidrográfica do Pipiripau.

Deixe um comentário