Escorpiões: todo cuidado é pouco!

Como se já não bastassem as ocorrências diárias de bandidos que roubam, sequestram e matam pessoas indefesas, agora são os escorpiões que entram em cena para intranquilizar a comunidade local. Mais conhecidos do grande público porque ilustram os signos do horóscopo, esses bichinhos da família dos Aracnídeos estão levando perigo aos quatro cantos de Brasília.

Para se ter uma ideia, basta citar os acidentes coletados pela Secretaria de Saúde do DF. No ano de 2012, nada menos de 792 ataques a moradores foram denunciados. E apenas nos três primeiros meses de 2013, 247 pessoas foram picadas pelo escorpião amarelo (o mais perigoso), causando mais recentemente a morte de uma criança.

Este último caso aconteceu no dia 16 de abril, quando o menino Henrique de Moraes Mendonça, de 1 ano e 6 meses, brincava no parquinho da Escola Castelinho Pin, na QE 19 (Guará II) e levou uma picada no pé. Chorando de dor, ele foi socorrido por funcionários da escola, que o levaram ao Hospital Regional do Guará.

Depois de receber a aplicação na veia do soro antiescorpião, a pedido da família, Henrique foi transferido para o Hospital Brasília, no Lago Sul, onde veio a falecer naquela mesma madrugada, não resistindo à ação do veneno.

O inquérito foi aberto pela Quarta Delegacia de Polícia (Guará), mas os próprios pais do menino isentaram a escola de qualquer culpa, admitindo que o filho foi vitima de  uma fatalidade.

Diante de tal isenção, não nos cabe acusar quem quer que seja. Convém lembrar que os escorpiões costumam aparecer nos lugares mais inusitados, com a preferência em áreas urbanas. Esses Aracnídeos vivem em bueiros, em caixas de esgoto e gordura, e nas instalações elétricas dentro dos domicílios.

Então é importante que os moradores coloquem telas ou tampem os ralos, que são os principais focos de baratas, o alimento preferido dos escorpiões, que se infiltram sorrateiramente em qualquer buraco ou esconderijo, por menores que sejam.

Oportuno exemplo é o caso da síndica do Bloco B da 215 Norte. Desde o ano passado, ela vem alertando os moradores de seu condomínio sobre o aparecimento frequente de escorpiões. E em dois meses, ela própria recolheu 11 deles em seu apartamento, no último andar.

Como se vê, todo cuidado é pouco, principalmente para quem tem crianças.

Deixe um comentário