Entenda, na prática, o significado da palavra hipocrisia

Na tarde da última terça-feira (19), o deputado Coronel Tadeu (PSL) arrancou um cartaz e quebrou as molduras da peça que exibia uma charge do cartunista Carlos Latuff. A obra de arte retratava a morte de jovens negros pela polícia.

Quadro no corredor da Câmara dos Deputados. Foto: Taliria Petrone

Intitulada “O Genocídio da População Negra”, a imagem trazia um policial com revólver na mão e um rapaz negro com a camisa do Brasil, algemado e caído no chão. Ela compõe uma exposição que acontece na Câmara dos Deputados para celebrar o Dia Nacional da Consciência Negra, comemorado nesta quarta-feira, 20 de novembro.

“Não há arrependimento. Quem foi atacada foi a Polícia Militar”, afirmou o deputado. Entretanto, o ato gerou uma reação quase que instantânea nas redes e na Casa. Vários parlamentares descreveram a reação do Coronel como racista é intolerante.

Hoje, no Instagram, o Coronel se manifestou por meio de uma postagem em que exalta a diversidade, afirmando que ela “fortalece o respeito e nos une”. O deputado tentou forçar uma homenagem ao dia da consciência negra menos de 24h após a cena lamentável que protagonizou no túnel que liga o plenário principal da Câmara dos Deputados ao anexo das comissões. A falta de empatia e decoro põe em xeque a verdadeira visão do parlamentar acerca da realidade do seu próprio País e povo.

Abaixo da charge arrancada e pisoteada, haviam dados sobre a violência do Estado contra negros. Um grupo de deputados registrou queixa na Policia Legislativa e afirmou que vai acionar o Conselho de Ética da Câmara pela atitude.

Deixe um comentário