Embaixatriz paquistanesa nos EUA é acusada de blasfêmia

Sherry Rehman
A Polícia do Paquistão acusou nesta quinta-feira a embaixatriz do país nos Estados Unidos, Sherry Rehman, de blasfêmia, um crime que pode ser punido com a morte. Rehman será investigada por conta de declarações dadas durante um programa de televisão, em 2010, em que pedia a revisão justamente da lei pela qual pode ser condenada.
A denúncia contra Rehman foi apresentada pelo empresário Muhammad Faheem Gill, que considerou ofensiva as considerações da embaixatriz a respeito da lei de blasfêmia paquistanesa. Acusações de blasfêmia são crescentes no país, de acordo com um levantamento divulgado pelo Centro de Estudos de Segurança. Pelo menos 52 pessoas acusadas de blasfêmia morreram desde 1990.
Quem responde por essa acusação encontra dificuldades em se defender, pois a blasfêmia não é especificamente estabelecida e os júris muitas vezes se recusam a ouvir evidências, com medo de que a reprodução de uma suposta blasfêmia possa ser também uma ofensa.
Fonte: Veja Online
Extratos dos Jornais

Deixe um comentário