Eike Batista acerta venda da MPX por R$ 1,8 bi

Os executivos da empresa alemã E.ON fecharam nesta sexta-feira à tarde, no Rio de Janeiro, os termos finais do acordo para comprar uma fatia maior da MPX, braço de energia do grupo de Eike Batista. Segundo fontes próximas ao negócio, os alemães vão desembolsar R$ 1,8 bilhão por metade das ações de Eike – que representam cerca de 27% do capital da MPX. 
Um dos pontos que travaram a transação foi o fato de que, ao aumentar sua participação na MPX, os alemães teriam de assumir no balanço da matriz a dívida da empresa brasileira, que em 2012 chegou a R$ 6 bilhões. Para resolver o impasse, os bancos que estão assessorando essa operação (Goldman Sachs, do lado dos alemães; Bradesco BBI, Itaú BBA e XP Investimentos, do lado de Eike) chegaram a uma solução complexa. 

A conversa com os alemães já dura mais de um mês e faz parte de uma reação de Eike à crise que suas empresas vêm enfrentando desde o ano passado. Nos últimos 12 meses, as cinco companhias “X” listadas na bolsa brasileira perderam R$ 54 bilhões em valor de mercado. Sob pressão, Eike firmou um acordo com o banco BTG Pactual de André Esteves, que há uma semana passou a prestar “consultoria” para o grupo EBX – a holding de Eike. A entrada do banco teria acelerado a negociação com os alemães, que estava emperrada.
Fonte: Estadão
Extratos dos Jornais

Deixe um comentário