É pra lá que eu vou!

 

 

Sou do tempo que, ao cair da noite, aparecia no céu um astro que havia sido batizado, por sua beleza, de Estrela Dalva, anos depois identificado pelos astrônomos como sendo o planeta Vênus, o que significava um relativo rebaixamento de categoria astral. Aliás, muito antes, eu já desconfiava, baseado no que me ensinara meu pai, médico, que acumulava a paixão por Astronomia. Tanto era, que tinha uma pequena luneta, que usava como se fosse um telescópio:

– “Observe bem, meu filho, mesmo a olho nu: a diferença de uma estrela para um planeta é que as estrelas cintilam (piscam) porque têm luz própria, enquanto os planetas, não; porque recebem luz das estrelas!”.

O firmamento noturno, enfeitado por suas incontáveis constelações estelares, sempre foi atração dos estudiosos desde os primórdios. Eles mapeavam o céu e davam nomes a alguns astros como se fossem deuses catalogados na mitologia. Quando o cientista italiano Galileu Galilei  explorou o Universo, em 1610, com o potente telescópio que havia construído e que aumentava 20 vezes o tamanho dos corpos celestes, à essa época Vênus já era conhecida como a Deusa do Amor e da Beleza, por sua luminosidade peculiar, porém confundida como se fosse uma bonita estrela.

Com o instrumento comprido acoplado a grossas lentes, além de descobrir os Anéis de Saturno, Galileu prosseguiu nas meticulosas observações que marcaram o início da astronomia moderna e que a cada dia mais se aprimora, promovendo descobertas surpreendentes, independente das incursões dos astronautas.

E eis que a mais recente e sensacional notícia foi estampada nesta semana nas manchetes dos jornais do mundo inteiro: cientistas da Nasa descobriram um sistema solar formado por 7 planetas, com composição e temperatura parecidas com as da Terra.

O mais importante e já confirmado pelo administrador da Agência Espacial norte-americana, Thomas Zurbuchen: três desses seis planetas estão na zona habitável, ou seja, a que tem condições atmosféricas e climáticas para abrigar vidas, com temperatura amena, incluindo que são banhados por grande fartura de água, o que proporciona uma eterna primavera.

De minha parte, já decidi: se em qualquer um desses três planetas semelhantes à Terra não tiver vices golpistas e políticos corruptos, é pra lá que eu vou, levando a família!} else {

Deixe um comentário