Disputa na Costa Rica ajuda a entender eleições no Brasil

Tour Eleições das Américas, uma parceira Brasília Capital e Viés Marketing Estratégico

No dia 1º de abril, acontecerá o segundo turno das eleições presidenciais da Costa Rica. Fabricio Alvarado, ex-deputado evangélico, vencedor do primeiro turno e favorito nas últimas pesquisas, com 56,9% das intenções de voto, enfrentará Carlos Alvarado, ex-ministro do trabalho e candidato governista, que alcança 43,1%.

A tendência de crescimento de Fabrício Alvarado nas últimas semanas, somada à diminuição dos indecisos (de 23,2% para 13,6%) e ao crescimento dos que dizem que não irão votar (de 11,3% para 22,7%), sugere sua vitória. Ele triunfou no primeiro turno, em meio a 13 candidatos, defendendo a pauta moral contrária ao casamento gay.

Enquanto o segundo colocado corre atrás dos indecisos, participando de debates e entrevistas, o líder nas pesquisas falta a todos os debates, buscando manter a compreensão emotiva e social que o coloca em vantagem. Quase que diariamente os dois candidatos anunciam alianças com dirigentes políticos, economistas e especialistas de áreas diversas que formariam suas equipes de governo, na busca pelos votos dos eleitores dos outros 11 candidatos do primeiro turno.

Pela primeira vez em mais de meio século, o cargo presidencial não será disputado pelos dois partidos mais tradicionais do país, o socialdemocrata Liberación Nacional e o centro-direitista Unidad Social Cristiana. (Será que o mesmo poderá acontecer no Brasil e deixar de fora PT e/ou PSDB do segundo turno deste ano? Improvável, arrisco dizer).

Neste domingo (25), o Tribunal Supremo de Eleições da Costa Rica (TSE) promoverá o “Debate do Como”, que será transmitido pela TV, pelo rádio e pelas redes sociais. Nele, os candidatos explicarão como irão concretizar suas promessas de campanha, uma tentativa de levar racionalidade e materialidade ao debate político costarriquenho na reta final das eleições.

A verdade e a mentira, conceitos muito estudados por Nietzsche, estarão à prova nesse debate. Atores políticos encenarão suas versões com o único objetivo de conseguirem mais votos, e no dia 1º de abril, popularmente conhecido como “o dia da mentira” aqui no Brasil, disputarão votos em meio ao desânimo de eleitores e ao feriado de Páscoa, período em que muitos atravessarão o país e trocarão as eleições pelas praias.

 

Ministro da Comunicação dará entrevista exclusiva

 

Na próxima quinta-feira (29/3), embarco para San José, capital da Costa Rica, em mais uma etapa do projeto “Tour Eleições das Américas”, para analisar as estratégias de marketing eleitoral, comunicação e mobilização de rua. Vou acompanhar o desenrolar da reta final das eleições presidenciais e, ao vivo, o dia da votação. Todas as estratégias aprendidas nos países visitados serão largamente utilizadas como soluções para nossos clientes no Brasil.

No dia 3 de abril, com exclusividade, irei me reunir com o ministro da comunicação da Costa Rica, Mauricio Herrera Ulloa, para conhecer sua análise sobre o processo político atual do país. Será uma experiência inédita e todos nossos passos pelas Américas serão registrados em fotos e vídeos, e compartilhados com todos vocês, nas redes sociais da Viés Marketing Estratégico e exclusivamente aqui, no Brasília Capital.

Fonte:

Deixe um comentário