DF investirá quase R$ 1,6 bilhão do PAC em mobilidade

O sistema de transporte público do Distrito Federal recebeu reforço orçamentário, na quinta-feira (13), com a destinação, pela presidenta Dilma Rousseff, de R$ 1,59 bilhão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade. O recurso será usado, prioritariamente, na implantação dos eixos Norte e Sudoeste do Expresso DF, e melhorias no metrô.

 

“Essa é uma conquista extraordinária e é a consolidação de uma política de transporte público no Distrito Federal. Com esse investimento, toda a população do DF sairá ganhando, já que nós vamos fazer o Expresso Norte e mais estações de metrô, além de adquirir 10 carros modernos para o metrô”, explicou o governador Agnelo Queiroz, acompanhado do vice-governador, Tadeu Filippelli.

 

Pelo planejamento do governo, mais de 60% do orçamento destinado pelo Planalto, R$ 1,05 bilhão, será empregado nas obras do Expresso DF – Eixo Norte, que ligará a Rodoviária do Plano Piloto e o futuro terminal da Asa Norte a Sobradinho e Planaltina. O corredor terá 60km de extensão, 50 estações, e beneficiará cerca de 400 mil usuários do transporte público.

 

Outro projeto atendido pelo PAC é o Expresso DF – Eixo Sudoeste, para o Recanto das Emas, Riacho Fundo I e II, Núcleo Bandeirante, Candangolândia, Arniqueiras e Área de Desenvolvimento Econômico (ADE), localizada em Águas Claras.

 

Além dos corredores exclusivos destinados aos ônibus, o Governo do Distrito Federal investirá parte dos recursos federais no sistema de metrô local com a aquisição de 10 novos trens e a implantação, ao custo de R$ 75 milhões, das estações da 104, 106 e 110 Sul.

 

A grande novidade para o Distrito Federal proporcionada com esse aporte de recursos será a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). A expectativa é adquirir 10 trens para início de operação do trecho 1, que ligará o aeroporto ao Terminal da Asa Sul. Somente para esse projeto serão empregados R$ 120 milhões.

 

Em discurso, que durou aproximadamente 15 minutos, a presidenta Dilma Rousseff destacou a importância da liberação dos recursos não só para o DF, mas para todo o país. Ela lembrou que o PAC faz parte de uma nova concepção do governo federal sobre a mobilidade urbana, e que as mudanças somente são feitas trabalhando em conjunto com os gestores das unidades da Federação.

 

“Há três anos começamos a construir uma parceria com os estados e com os municípios para selecionar investimentos em mobilidade urbana. As obras são identificadas por governadores e prefeitos, porque são eles que conhecem a realidade e a demanda das regiões. Essa é uma parceria importante porque, até então, o governo federal (em gestões anteriores) não se julgava responsável por fazer obras de mobilidade urbana”, disse a presidenta Dilma.

 

De acordo com o secretário de Transportes do DF, José Walter Vazquez, a liberação dos recursos pelo governo federal chegou no momento exato em que o Executivo local coloca em prática uma das maiores obras de mobilidade urbana do país, o Expresso DF Sul, que liga Santa Maria e Gama ao Plano Piloto.

 

Vazquez ressaltou que as novas intervenções em mobilidade urbana no DF devem começar ainda este ano.

 

“Uma obra pública, do anúncio até a conclusão, demora três anos. Então, nós vamos ter a liberação do recurso, a licitação da obra, e acredito que a execução das obras leve de 18 a 24 meses. Esse dinheiro representa o coroamento de uma visão que estava no PDTU (Plano Diretor de Transporte Urbano) e um compromisso deste governo”, frisou o secretário.

 

Os investimentos anunciados pela presidenta totalizam um montante de R$ 3,8 bilhões, que financiarão projetos em diversas cidades brasileiras, além do Distrito Federal. Entre os estados beneficiados estão Goiás, Tocantins, Paraíba, Mato Grosso do Sul, Maranhão e Rio Grande do Norte.

Fonte:

Deixe um comentário