Despesas médicas do Senado triplicam

o presidente do Congresso Nacional, José Sarney

No último ano da gestão José Sarney, em 2012, o Senado desembolsou 115,2 milhões de reais — aumento de 38% em relação a 2011 (Antonio Cruz/Agência Brasil)
O uso de dinheiro público para pagar as despesas médicas do Senado quase triplicou entre 2003 e 2012. O cálculo é atualizado, ou seja, a inflação do período já está descontada. Os gastos, que superam meio bilhão de reais numa década, incluem despesas dos atuais 81 parlamentares, seus dependentes e ex-parlamentares, além dos 6.300 funcionários e pensionistas.
No ano passado, o último da gestão José Sarney (PMDB-AP) à frente do Senado, o desembolso bateu o recorde da década: 115,2 milhões de reais dos cofres federais. O aumento foi de 38% em relação a 2011, quando o desembolso chegou a 71,3 milhões de reais.
Em 2012, as consultas e exames feitos pela estrutura do Senado ou fora dele ultrapassaram em R$ 10 milhões o orçamento previsto para custeio médico, cujo valor era de 105,2 milhões de reais. Trata-se de um orçamento maior do que o reservado em 2012 pelo Ministério da Educação para o Hospital Universitário de Brasília (HUB), vinculado à Universidade de Brasília (UnB), de 88,7 milhões de reais.
Fonte: Veja Online
Sites e Blogs

Deixe um comentário