Descaso no Hospital de Base de Brasília

O estudante Tiago Ferreira de Souza, 17 anos, é mais uma testemunha da leniência do sistema de saúde pública do Distrito Federal. Ele sofreu um acidente de skate no domingo (5) e foi internado no Hospital de Base com fratura no braço direito. A lesão é no osso rádio, e o rapaz precisa ser submetido a uma cirurgia.

Tiago passou a semana em uma maca, no corredor do Pronto Socorro,e já teve o procedimento cirúrgico adiado várias vezes, sob a alegação de que a equipe do HBB precisa atender a casos mais urgentes. A mãe do rapaz, Cilene Ferreira dos Santos, reclama da situação.

“Ele está perdendo aulas e corre o risco de ser dispensado do estágio. Se isto acontecer, ele precisará deixar de estudar, porque não temos dinheiro para pagar a faculdade”, reclama.

A Secretaria de Saúde informa, por meio de nota, que o paciente, internado no posto 2-UTO desde o dia 5, não corre risco de morte, nem possui fratura exposta, razão pela qual pacientes em estado grave têm passado à frente de Tiago, na fila de espera por cirurgia.

A Secretaria de Saúde informa que o quadro geral do estudante é bom. No entanto, Tiago afirma o contrário. Após três dias de internação, apenas na quarta-feira (8) o nome dele foi incluído na lista para encaminhamento ao centro cirúrgico.

“Há cinco dias estou sendo submetido a jejum forçado, com a justificativa de que a qualquer momento posso ser levado para sala de cirurgia. Mesmo assim, não param de chegar ao pronto socorro pessoas em situação de risco, o que torna a minha espera por atendimento infinita”, lamenta.

Novas UPAs

O sistema de saúde pública do DF continua demonstrando que a estrutura está caótica, apesar dos esforços do governo. Na manhã de sexta-feira (10) o governador Agnelo Queiroz determinou a construção imediata de mais seis Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), antes do fim do ano, na Asa Norte, Ceilândia, Taguatinga, Sobradinho II, Gama e Planaltina. Outra medida emergencial adotada pelo governo foi a abertura de 350 vagas para contratação temporária de médicos.

Deixe um comentário