Derrubando mitos

Dia Mundial do Câncer mostra que doença pode ser prevenida e tem cura.

Na terça-feira (4) foi comemorado o Dia Mundial do Câncer, criado em 2005 pela União Internacional para o Controle do Câncer (Uicc). O objetivo da ação é disseminar conhecimento sobre tipos de tumores malignos e benignos e derrubar preconceitos sobre a doença.

Um levantamento do Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontou que só no Distrito Federal, devem surgir 7.750 casos de câncer em 2014. No Brasil, os tipos mais incidentes da doença são na próstata, em homens, e de mama, reto, cólon e colo do útero, nas mulheres. Estimam-se 68.800 casos novos de câncer de próstata para o Brasil em 2014.

De acordo com o coordenador de Prevenção e Vigilância do Inca, Claudio Noronha, o desconhecimento é um dos maiores vilões na luta contra a doença, que, a cada ano, provoca cerca de 8 milhões de mortes no mundo.

A oncologista Camila Donini Tapia, do Instituto Brasiliense de Câncer, ressalta que metade dos cânceres pode ser evitada com a mudança no estilo de vida, como é o caso do tabagismo. “Não é à toa que, no mundo todo, o câncer de pulmão é o mais frequente”, disse ele, ao ressaltar que, no Brasil, devido ao controle do tabagismo, esse tipo de câncer já não figura em primeiro lugar.

“O câncer pode ser prevenido, se você tiver um bom rastreio. É de evolução muito lenta, pode levar mais de uma década. Então, se a mulher identifica lesão pré-maligna, no preventivo, também conhecido como Papanicolau, e se ela mulher for bem avaliada e tratada, ela tem menos de 5% de chances de desenvolver o câncer de colo de útero. Se a mulher não se tratar, as chances de cura são de 30%”, afirma a ginecologista Maria José de Camargo, sobre o câncer de colo de útero.

A médica ainda comemora a introdução da vacina contra alguns tipos de HPV para pré-adolescentes. Os HPV são responsáveis por mais de 70% dos casos de câncer de colo de útero.

Deixe um comentário