Curitiba para além de Moro

Ero Ere: negras conexões. Uma exposição para ser visitada em Curitiba

Distante mais de mil quilômetros do mar, nada mais natural
que o brasiliense, ao pensar em curtir férias, sonhe em passar
uns dias n’alguma cidade praiana. No entanto, o turismo no
Brasil é muito mais do que litoral. E uma excelente opção é
Curitiba.


A capital do Paraná transformou-se centro das atenções
políticas nos últimos anos pela atuação do ex-juiz e atual
ministro da Justiça, Sérgio Moro, no comando das investigações
contra políticos em conjunto com a força-tarefa da Operação
Lava Jato.


Mas a cidade onde estão presas várias ex-autoridades da
República, com destaque para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da
Silva, vai muito além de Moro e seus procuradores. Curitiba
oferece muitas atrações para quem a visita. E o grande destaque,
sem dúvidas, são a gastronomia e os parques.


Boas companhias valorizam o passeio
O passeio fica ainda mais aprazível e interessante se o
visitante estiver em boa companhia. De preferência, de pessoas

dispostas a caminhar e que conheçam os meandros curitibanos,
especialmente as casas onde se pode saborear boa comida e
ótimos vinhos a preços honestos.


Há pouco mais de um ano, a advogada Elaine Wetzel divide
o seu tempo entre Brasília e Curitiba. Ela faz companhia à filha
Victoria, que estuda veterinária na capital paranense e mora
sozinha. Nas horas vagas, Elaine aproveita para desvendar os
segredos curitibanos.


Adepta de caminhadas, a advogada dispensa carro
particular. Quando precisa se deslocar com mais rapidez ou para
locais distantes, usa táxi, serviços de aplicativos ou ônibus, que
são muito eficientes, num padrão que deveria ser modelo para o
restante do País.


Um dos passeios imperdíveis é a Ópera Arte Teatro de
Arame. O complexo inclui – além do teatro, onde acontecem
grandes shows – um restaurante que atende, simultaneamente,
mais de 300 pessoas.


Ali, o charme especial fica por conta de uma varanda com
visão para uma lagoa, onde se apresentam músicos num palco
flutuante. O detalhe é que tudo isso foi feito numa antiga
pedreira abandonada, revitalizada – como grande parte dos
espaços públicos de Curitiba – durante os governos do arquiteto
Jaime Lerner (PDT).

Também não se pode deixar de conhecer o Museu Oscar
Niemeyer (MON). Além do acervo do arquiteto que projetou
Brasília, há exposições permanentes e rotativas de outros
artistas nacionais e internacionais. Um banho de cultura e um
colírio para os olhos de quem aprecia o talento de pintores,
escultores e artesãos. Bom lugar para se comprar souvenirs da
cidade.


Como nem só de pão vive o homem, recomenda-se
momentos de reflexão em um dos templos católicos, evangélicos
ou de outras religiões espalhados pelos quatro cantos de
Curitiba. Um deles é a igreja Santa Terezinha do Menino Jesus,
no bairro Batel. Em seguida, vale uma esticadinha ao aprazível
Jardim Botânico.


De bar em bar
Curitiba também tem seus lugares sagrados para a boemia.
No centro da cidade, o ponto predileto de quem tem muito
tempo para bebericar uma cervejinha gelada e jogar conversa
fora é o tradicional Stuart. Na rua de trás, a pedida é o Ostra
Bêbada. E, como diz o próprio nome, as ostras fresquinhas são
tira-gosto obrigatório.


O Fresh Live Market é outra excelente pedida. Mas, à noite,
a massa da Famiglia Caliceti di Bologna, no Batel, é indispensável.
A carta de vinhos é bastante variada e contempla todos os

bolsos. Quem preferir, pode optar pelas carnes e o chope do
Outback do shopping Curitiba ou o refinamento das casas do
luxuoso Shopping Pátio Batel.


Outra atração de Curitiba são os cafés em padarias onde o
desjejum matinal pode ser acompanhado de champanhe, como
prefere o engenheiro Luiz Bezerra. Ele indica dois locais que
considera excelentes: o Café Bee-O, que tem uma pegada de
comidas orgânicas, e o Empório Muf’s.


“De fato, Curitiba foi uma grata surpresa. Não imaginava
que houvesse tanta diversão para o turismo numa capital sem
praia. Além do mais, a limpeza, a organização e a educação do
povo fazem a gente se sentir como se estivesse na Europa. Uma
delícia”, diz a professora Tatiana Barros, após passar um fim de
semana prolongado na capital paranaense.

Deixe um comentário