Cristovam: “Brasília precisa de minha experiência”

“Quero continuar sendo o senador dos brasilienses por mais um mandato para cuidar de Brasília e do Brasil para termos uma democracia sem corrupção e baseada numa educação de qualidade para todos”, afirma Cristovam.

– Eu já estou fazendo a revolução na educação do Brasil, com pelo menos três das minhas mais de 20 leis em vigor: a do piso nacional salarial dos professores; a que obriga ter vaga no ensino públicos para crianças que completam 4 anos de idade; e a que garante acesso gratuito a todos os jovens no ensino médio – destaca Cristovam Buarque.

“Agora”, diz Cristovam, “vou usar mais este mandato para emplacar outras bandeiras minhas, como a construção de um entendimento político que assegure coesão social e rumo para o Brasil; promover a qualidade de vida nas cidades especialmente através dos recursos de mobilidade urbana; o acesso de todos à saúde, desde os serviços de saneamento, água e esgoto e medicina preventiva; a implantação paulatina de um Sistema Federal de Educação de Base, para assegurar escola com máxima qualidade igual para todos, independentemente da renda e do endereço da família.”

“Quero continuar no Senado para cumprir essa minha missão. Com a adoção imediata pela união das escolas públicas de municípios mais pobres e menos populosos; com a implantação do Bolsa Escola nesses municípios; com a Federalização da Educação”.

Cristovam é candidato à reeleição. “É necessário cuidar bem de Brasília e isso exige, por exemplo, maior responsabilidade com o uso dos recursos financeiros de que dispomos. Praticamente pouco mais de 32%, do orçamento do GDF vêm do Fundo Constitucional. Ele enfatiza, no entanto, que a função de um senador não é apenas trazer verbas para seu estado. “Se fosse só isso, a gente contrata um despachante e está tudo bem”.

“Temos que defender o Fundo Constitucional”, enfatiza. Mas, afirma Cristovam Buarque, temos que estar sempre lembrando ao país, da tribuna no Senado, em artigos nos jornais, que o Distrito Federal não tem as mesmas fontes de receita dos outros estados. “E tem despesas e custos que os outros estados não têm para hospedar a Capital de Todos os Brasileiros”, ressalta.

Para o senador que criou o Bolsa Escola, o Saúde em Casa, a campanha Paz no Trânsito e o respeito à faixa de pedestre – um orgulho nacional – é preciso institucionalizar o conceito da RIDE, “fazer parceria com estados e municípios do entorno do DF para a prestação de serviços públicos sem que a saúde, educação e segurança, especialmente, de Brasília não fiquem sobrecarregados e que esses serviços não faltem nas cidades goianas e mineiras do Entorno.”

Deixe um comentário