Corte Interamericana de Direitos Humanos

O presidente da Corte Interamericana de Direitos Humanos, o peruano Diego García-Sayán, foi recebido hoje (14) pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, num encontro, segundo declarou, que teve por objetivo esclarecer ‘o verdadeiro papel’ do organismo. Ele defendeu que a Corte “não é um tribunal penal, mas se destina a supervisionar o cumprimento da Convenção dos Direitos do Homem”, que por sua vez tem competência de caráter contencioso e consultivo.
Em entrevista que concedeu no Ministério da Justiça, García-Sayán se negou a opinar sobre questões polêmicas ligadas à área dos direitos humanos no Brasil e em outros países, como as condenações ou absolvições de pessoas envolvidas com a Guerrilha do Araguaia. Ele também não comentou a repercussão na imprensa de que o novo papa argentino Francisco I não fez oposição à ditadura Argentina em décadas passadas.
O presidente da Corte Interamericana de Direitos Humanos destacou que o colegiado só se posiciona sobre casos quando toda a fase de recursos de uma questão está esgotada.
Fonte: Agência Brasil
Sites e Blogs

Deixe um comentário