Cordão umbilical para transplante

A rede de bancos públicos de sangue de cordão umbilical vai se expandir para aumentar as chances de pacientes encontrarem um doador compatível para transplante de medula no país.


Criada em 2004, a rede é coordenada pelo Inca (Instituto Nacional de Câncer) e armazena material retirado do cordão umbilical de recém-nascidos.


As células-tronco do sangue do cordão são usadas em transplantes de medula em pessoas com doenças como a leucemia, quando há compatibilidade.

Hoje há 12 bancos públicos no país, seis deles no Sudeste. A expansão da rede BrasilCord –gerenciada pela Fundação do Câncer– para Norte, Nordeste e Centro-Oeste quer completar o perfil genético do brasileiro e aumentar as chances de pessoas de todas as regiões encontrarem um doador.

Fonte: Folha Online

Sites e Blogs

Deixe um comentário