Cooperativas começam coleta seletiva de lixo

Rollemberg (centro): “Vamos cobrar qualidade da coleta seletiva”.  Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

 

 

A partir desta segunda-feira (26), dez regiões administrativas do Distrito Federal passam a contar com a coleta seletiva feita por cooperativas de catadores de material reciclável. A informação foi dada hoje de manhã pelo governador Rodrigo Rollemberg, durante o início do programa Cidades Limpas no Paranoá.

O serviço de coleta ocorrerá nas seguintes localidades:

  • Cruzeiro Velho
  • Itapoã
  • Lago Norte
  • Lago Sul
  • Paranoá
  • Riacho Fundo I
  • Riacho Fundo II
  • São Sebastião
  • Sobradinho
  • Varjão

“A gente está dando um passo importante para fazer uma Brasília cidadã, garantindo a esses brasilienses aqui dignidade, uma relação profissional com o Estado, em que vamos cobrar qualidade da coleta seletiva”, disse Rollemberg. Esse modelo de contratação é adotado desde maio de 2015 para parte da Candangolândia, do Núcleo Bandeirante, de Samambaia, de Santa Maria e de Brazlândia — regiões em que o serviço é feito por quatro cooperativas de catadores.

O governador de Brasília destacou que, na semana passada, o Tribunal de Contas do Distrito Federal liberou a licitação definitiva do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) que permitirá a coleta seletiva até o fim do ano em toda a área urbana do DF. A diretora-presidente do SLU, Kátia Campos, participou do evento no Paranoá nesta segunda. “A gente faz aqui um apelo para que a população separe com carinho aquilo que tem valor para reciclagem. Esse material está dando renda para muitas famílias no DF e aumentando a vida útil do aterro sanitário.”

Cidades Limpas no Paranoá

Com ações de nesta segunda-feira  (26) até sexta (2), o Paranoá é a segunda região administrativa a receber o programa Cidades Limpas em 2018 — a primeira foi São Sebastião, no fim de janeiro. A melhoria imediata do ambiente urbano por meio de ações de limpeza, conservação e urbanização contará com o apoio de 221 trabalhadores, de 18 órgãos do governo de Brasília.

De acordo com a Secretaria das Cidades, que coordena os trabalhos, estão previstas ações como poda de árvores, tapa-buracos, manejo ambiental e vistoria para combate ao mosquito Aedes aegypti — transmissor de dengue, da febre amarela, do zika vírus e da chikungunya.

Haverá ainda vacinação antirrábica gratuita de cães e gatos e a poda de árvores do Parque Vivencial do Paranoá, às margens da rodovia que liga o Setor de Mansões do Lago Norte à barragem do Paranoá.

Deixe um comentário