Construções embargadas

A polêmica que envolve o embargo de obras na área tombada de Brasília ganha um capítulo que pode mudar todo o rumo da história. A previsão é de que a partir de agora, haja uma abertura para o diálogo entre as partes envolvidas. Em reunião,  o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) reconheceu que as obras estão sendo feitas de acordo com os projetos apresentados e garantiu à Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), que representa as construtoras, que estudará uma solução viável para o impasse, e nos próximos dias irá apresentá-la.

Segundo o presidente da Ademi, Adalberto Valadão, a reunião foi significativa. “O objetivo foi buscar uma solução para essa situação. A obras estão sendo feitas de acordo com o projeto e a Jurema Machado  (presidente do Iphan) prometeu estudar uma solução”, afirmou.

O impasse teve início quando o Iphan embargou 15 obras, alegando que os alvarás    observavam apenas normas de construção, não levando em conta as regras do instituto. Responsável pelo tombamento, o Iphan passou a adotar uma nova postura após a última mudança de gestão. Desde então, o órgão entende que tem papel de fiscalizar e embargar obras que estejam em desacordo com a lei.

Fonte: Jornal de Brasília
Sites e Blogs

Deixe um comentário