Como envelhecer com um cérebro mais saudável?

Em todo o mundo, um novo caso de demência é detectado a cada 4 segundos. Atualmente, 35,6 milhões de pessoas no mundo apresentam algum grau de demência e estima-se que em 2050, esse número irá praticamente triplicar, chegando a 112,4 milhões. As doenças neurodegenerativas são consequência da nossa maior expectativa de vida, e se estamos vivendo mais, precisamos deixar nosso sistema nervoso mais saudável pra acompanhar esse envelhecimento do resto do corpo.

Muito tem sido estudado sobre o sistema nervoso, e sobre o que chamamos de neuroplasticidade do cérebro. Essa capacidade está relacionada com as adaptações e remodelamento que ocorrem no cérebro tanto a nível estrutural como funcional, o que é importante para a prevenção ou retardo dos processos naturais do envelhecimento que levam a diminuição da cognição, memória e execução de atividades.

Todo mundo sabe que atividades intelectuais são importantes para manter o cérebro ativo, porém poucas pessoas sabem que as evidências mais recentes mostram que o exercício físico, especialmente aeróbico, para idosos, traz adaptações cerebrais importantes para a função cognitiva. Estudos mostram que uma área bastante comprometida na Doença de Alzheimer, o hipocampo, tem seu volume aumentado e preservado quando idosos realizam atividade aeróbia pelo menos 3 vezes por semana.

Outros aspectos fundamentais para a manutenção de um cérebro mais saudável são nutrientes que devem fazer parte da alimentação sempre, pois na ausência deles temos maiores riscos de prejuízos cerebrais. Esses nutrientes são as gorduras poli-insaturadas, especialmente o Ômega 3 (mais especificamente o DHA), além das vitaminas antioxidantes, como vitaminas C e E, e vitaminas do complexo B, como B12 e ácido fólico.

 


Como saber se um produto é orgânico?


Doces e açúcar na primeira infância


Vamos falar de aleitamento materno?


 

Fonte:

Deixe um comentário