Começa, nesta segunda (23), vacinação contra influenza

A pandemia do coronavírus tem exigido a mudança de comportamento para evitar o maior alastramento da doença. Um dos serviços públicos que foram modificados é a Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza. Em coletiva realizada no sábado (21), o secretário de Saúde do DF, Francisco Araújo, anunciou o início da campanha no Distrito Federal e como será o atendimento com as novas regras.

 Além de ter sido antecipada em 30 dias, passando a ser realizada no período de 23 de março a 22 de maio, a Secretaria de Saúde vai dispor 128 postos de vacinação e o primeiro grupo a receber as doses será o dos idosos.

Outras novidades é a adoção do sistema drive-thru como forma de evitar contatos entre pessoas. Em locais com estacionamentos maiores em que o idoso possa ir de carro, ele poderá receber a vacina sem sair do próprio automóvel. Além disso, para evitar aglomerações, na primeira semana, que é exclusiva para os idosos, a imunização será aplicada em ordem alfabética. Pessoas acamadas/institucionalizadas com mais de 60 anos de idade podem agendar o recebimento da vacina em domicílio, a partir de 23 de março, pelo telefone 160.

“Os idosos vão receber suas vacinas por ordem alfabética, e o objetivo é evitar as grandes filas que se formam no início das campanhas. Por isso, pedimos que respeitem o cronograma, mas caso algum idoso se confunda no dia, será vacinado também. O objetivo da gente é proteger ao máximo nossos idosos, que é o grupo mais vulnerável ao coronavírus. Por isso, o atendimento das salas de vacina será das 8h às 22h”, explicou o secretário de Saúde do DF, Francisco Araújo, durante coletiva de imprensa online realizada no sábado (21).

A campanha de vacinação no Distrito Federal vai contar com a parceria da Secretaria de Educação e das administrações regionais. O chefe da Casa Civil, Valdetário Monteiro, destacou a importância de unir forças para combater a Covid-19. “Estamos trabalhando unidos para fazer o melhor ao combate a essa pandemia. Não devemos nos aglomerar de forma alguma, por isso teremos tantos postos de vacinação, em escolas, administrações, etc”, explica.

Em nota, o GDF explica como será realizada a campanha deste ano. Confira, a seguir:

Doses
O DF já recebeu 60.800 doses de vacinas. O restante será enviado pelo Ministério da Saúde, em um cronograma com 14 entregas semanais. A estimativa é que cheguem 1.015.600 doses.

No Distrito Federal, o público-alvo é de 912.914 pessoas. A meta estabelecida pelo Ministério da Saúde é vacinar, pelo menos, 90% dos grupos elegíveis para a vacinação. Neste ano, o Ministério da Saúde decidiu ampliar a abrangência da vacinação no público adulto, incluindo adultos de 55 a 59 anos e as pessoas com deficiência, para aumentar o acesso à vacinação de grupos mais vulneráveis.

O secretário-adjunto de Assistência, Ricardo Tavares, ressalta a importância de toda a população se unir para vencer o Covid-19. “Só venceremos essa pandemia sem se aglomerar. Pedimos que a população siga as instruções de ficar em casa, vacinar os grupos de risco e se proteger dentro de casa”, avalia. Dia 9 de maio será o dia “D” de mobilização nacional, mas o objetivo é que a maioria dos grupos prioritários já tenha se vacinado e evite aglomerações.

Grupos prioritários
Devem ser vacinadas pessoas com 60 anos ou mais de idade, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 6 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medida socioeducativa, população privada de liberdade e servidores do sistema prisional, forças de segurança e salvamento, adultos de 55 a 59 anos e pessoas com deficiência.

O diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), Sérgio Luiz da Costa, destaca a importância de os grupos de riscos tomarem a dose contra a influenza. “É de fundamental importância as ações que já foram adotadas na perspectiva da redução dos danos relacionados à transmissão ao Covid-19, mais conhecido como coronavírus. O Instituto vem nesse processo de continuidade adotando as respostas nas frentes de capacidade de resposta, com esforços dentro de critérios científicos, dentro de um plano de contingência, em seus níveis de ativação”, afirma.

Sérgio ressalta que o grupo executivo é o grupo gestor e que todos estão preparados para dar as respostas que são necessárias. É um processo de continuidade e integrado aos outros serviços de saúde.

O sanitarista Eduardo Hage, da Secretaria de Saúde,  ressalta a importância de fazer um chamamento para toda a população, principalmente os grupos alvos da campanha. “É uma vacina que protege contra três tipos de vírus Influenza e que são vírus que impactam de forma importante na saúde da população, pois em alguns casos de agravamento, podem levar a um quadro respiratório semelhante ao do coronavírus. Queremos reduzir especialmente o quadro de doenças graves respiratórias com essa vacina, esse é o objetivo da campanha”, explica.

De acordo com Hage, a vacina contra Influenza existe desde o ano 2000 e é uma vacina segura, produzida por laboratório nacional. Além disso, todos devem ficar atentos e confiantes com relação ao seu grau de proteção.

Contraindicações
A vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática em doses prévias da vacina, bem como a qualquer componente da vacina ou alergia comprovada grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. Contudo, na maioria dos casos, as vacinas contra influenza têm um perfil de segurança excelente e são bem toleradas.

Óbitos
No ano passado, ocorreram 22 óbitos por influenza, sendo 17 por influenza A (H1N1), 3 por influenza B e 2 por influenza A não subtipada. Desses, 16 apresentaram um ou mais fatores de risco para complicação. Além disso, quatro não fizeram uso de antiviral.

Cronograma
23 de março a 22 de maio: pessoas com mais de 60 anos e trabalhadores da saúde.

16 de abril a 22 de maio: professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas.

9 a 22 de maio: crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, adultos de 55 a 59 anos de idade e pessoas com deficiência.

Nesta primeira semana, a vacinação será exclusiva para os idosos, distribuídos por ordem alfabética nas datas de 23 a 27 deste mês, e cujo primeiro nome do registro civil (CNH, RG, Certidão de Nascimento, etc ) esteja disposto da seguinte forma:

23/3 – Idosos de nome iniciado com as letras A, B, C, D e E;

24/3 – Idosos de nome iniciado com as letras F, G, H, I e J;

25/3 – Idosos de nome iniciado com as letras K, L, M, N e O;

26/3 – Idosos de nome iniciado com as letras P, Q, R, S, e T;

27/3  – Idosos de nome iniciado com as letras U, V, W, X, Y e Z.

 * Com informações da Agência Brasília

Deixe um comentário