Combate à dependência de drogas e álcool

Usuários de bebida alcoólica e drogas terão atendimento especializado no DF com a inauguração, hoje em Taguatinga, do primeiro Centro de Atenção Psicossocial Especializado em Álcool e Drogas infantojuvenil da região e de uma Unidade de Acolhimento destinada a esse mesmo grupo e suas famílias.

“Nossa política (de combate a vícios) ficou fortalecida com esses novos espaços, e somente com uma colaboração integrada poderemos resolver esse problema”, ressaltou o governador Agnelo Queiroz, que abriu as portas do estabelecimento acompanhado da ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.

Durante a solenidade, a representante do Palácio do Planalto entregou ao chefe do Executivo regional a primeira base móvel – de um total de três – do programa “Crack, é Possível Vencer”, veículo doado pelo Ministério da Justiça ao Distrito Federal.

A doação consiste em um micro-ônibus, com câmeras para videomonitoramento e computadores, que será usado na investigação de áreas onde houver denúncias da atuação de traficantes, além do apoio de dois veículos e duas motocicletas.

“Mais do que um programa, temos um verdadeiro pacto entre governos e população, que tornará essa política pública (de enfrentamento às dependências de tóxicos e bebidas) constante e duradoura”, destacou a ministra ao destacar a importância do projeto que une as esferas estaduais e federais do Executivo.

 

PRIORIDADE

Para as instalações do Centro de Atenção Psicossocial e da Unidade de Acolhimento – serviços voltados ao atendimento de crianças e adolescentes entre 10 e 18 anos – o GDF investiu R$1,18 milhão. Ambos funcionarão no mesmo local – uma casa na QNF, área especial 24, em Taguatinga Norte, próximo ao Sesi – e terão como foco residentes em Taguatinga, Samambaia, Águas Claras, Vicente Pires, Ceilândia, Brazlândia, Gama, Santa Maria e Recanto das Emas.

Enquanto o centro oferecerá um trabalho mais ambulatorial, a unidade se destinará àqueles dependentes que, voluntariamente, queiram se livrar de seus vícios. Haverá no espaço ambientes exclusivos para trabalhar a prevenção contra recaídas, as relações familiares e a motivação para atividades, além de fazer atendimentos terapêuticos, entre outros objetivos. O acolhimento será oferecido 24 horas diariamente, e o tempo de tratamento dos pacientes poderá variar de 14 dias a quatro meses, prazo que será determinado pelos especialistas que os acompanharem.

 

SEM TETO

Agnelo Queiroz e a ministra Gleisi Hoffmann inauguraram na mesma cerimônia o segundo Centro Especializado para a População em Situação de Rua (Centropop). Nessa nova unidade, serão oferecidos serviços para os moradores de rua, onde poderão guardar pertences, fazer sua higiene pessoal e lavar roupas. Com essa iniciativa, o GDF quer ampliar o atendimento assistencial, oferecer atividades educativas para a reintegração e sociabilidade, além de possibilitar oportunidades de reintegração.

Fonte:

Deixe um comentário