Coisa de débil mental

Orlando Pontes

Até hoje, Nero é chamado de débil mental por ter colocado fogo em Roma e se deliciado com o incêndio. Alguns historiadores afirmam que, enquanto a cidade ardia em chamas (no ano 64 D.C.), o imperador débil se deliciava tocando harpa, instrumento que, segundo outras versões, ele odiava. Outra corrente de historiadores afirma que, enquanto a cidade ardia e o povo fugia desesperado, Nero tinha espasmos de gozo assistindo toda aquela situação.

Mudando o foco da História acima para os dias de hoje, ainda existem débeis mentais à frente de administrações de cidades, em plena Capital da República do Brasil, que imaginam ser essas cidades o seu império. Embora não existam indícios de que pensem em imitar o Nero romano, encaminham o seu prazer glorioso em sair aos sábados pela manhã recolhendo exemplares do Brasília Capital, para, assim como o imperador fez com Roma, atear fogo nos pacotes de jornal, pelo simples fato de o semanário não devotar o amor ao qual ele se considera merecedor.

O nosso Nero, cuja energia pessoal deveria canalizar para outras atividades, desafoga-se dela com verdadeiros espasmos de gozo, vendo queimar exemplares deste jornal. Equivoca-se, porém, em vários aspectos, especialmente quando viola à sua comunidade o sagrado direito de ficar informada tanto de suas ações – quando eventualmente adota medidas positivas para os moradores da cidade que administra e que merecem espaço em nossas páginas – quanto de seus equívocos, que não são poucos.

O Brasília Capital continuará exercendo o seu sagrado direito de informar com isenção e independência, pois o seu compromisso é com os leitores e com a verdade. Já em relação ao nosso Nero, temos fé em Deus, que certamente o iluminará, para que não necessite da claridade do fogo de nosso jornal em chamas para seguir seu caminho sem tropeçar nas próprias pernas, como, aliás, vem fazendo.

Prova disso é a manchete da edição 128, uma das confiscadas indevidamente pelo nosso Nero. A notícia, aliás, é fundamentada em uma ação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) contra atos de sua administração.

E assim, sigamos todos em paz, e que o Senhor nos acompanhe, como diria o guia espiritual do nosso Nero,.

Deixe um comentário