CCBB prepara programação infantil para as férias

Novo espetáculo da Cia. Mapati mistura diversidade cultural e múltiplas linguagens em julho no CCBB. Foto: Gabi Cerqueira
Novo espetáculo da Cia. Mapati mistura diversidade cultural e múltiplas linguagens em julho no CCBB. Foto: Gabi Cerqueira

De acordo com o dicionário, “Charivari” significa discussão acalorada, tumulto, confusão, misturada com gritos, música dissonante. E é isso que a Cia. Teatral Mapati irá fazer na área externa do Centro Cultural Banco do Brasil no período das férias escolares com o seu novo espetáculo infantil, a partir de 18 de julho. A temporada segue até 2 de agosto, aos sábados e domingos, sempre às 15h e às 17h, na Praça do CCBB Brasília e de graça.

Com 11 atores e atrizes em cena, o espetáculo promete prender a atenção dos pequenos ao apresentar múltiplas linguagens teatrais representando momentos cênicos da diversidade cultural, expressas na dança, costumes, alimentação, condição social, crendices, musicalidade e dialetos encontrados nas mais diferentes regiões do Brasil e de outros países.

Para Tereza Padilha, atriz, diretora e fundadora da Cia. Teatral Mapati, “apesar de ser um espetáculo infantil, a gente vai falar para todas as idades sobre o uso da força ou da inteligência, a honestidade e a infância enclausurada em quatro paredes, tudo de uma forma muito inovadora”. Nos 50 minutos de espetáculo, a adaptação de três histórias presentes no imaginário de todos – “O Cavalo de Tróia”, um pequeno conto chinês em “Quem seria a escolhida?” e “Saci Pererê”.

Charivari Créditos GABI CERQUEIRA (12)Cavalo de Tróia – Em Esparta, na Grécia, vivia Helena, uma linda mulher, de Tróia, o príncipe Páris, príncipe se apaixonou por ela e conseguiu leva-la para sua cidade. Menelau, Rei de Esparta, reúne então os seus melhores guerreiros e parte em milhares de navios pelo mar Egeu. Chegando a Troia, inicia-se uma longa guerra. Mas, para vencer os inimigos, eles precisarão se valer da inteligência.

Quem seria a escolhida?, um pequeno conto chinês – O príncipe da China vai se tornar imperador, mas para isso  ele precisa se casar. No intuito de encontrar a mulher mais virtuosa de todo o reino, o nobre decide lançar um desafio a todas as moças da China.

Saci Pererê – Um dia, Saci Pererê se afasta da floresta e chega a uma grande cidade. Perdido e sem saber como voltar, ele acaba adotado por um casal muito simpático. Saci é cheio de vida e energia, como toda criança, enquanto seus pais adotivos estão sempre muito ocupados trabalhando em seus computadores, tablets, smartphones e outras geringonças eletrônicas.

Para dirigir o espetáculo, ela convidou a diretora teatral e de cinema Cibele Amaral, um encontro que aconteceu na hora oportuna e do jeito certo, como ressalta a diretora, que se formou em teatro na Academia Internacional de Teatro de Roma. Em um dos semestres, Cibele estudou a arte dos bufões e nos anos 90 fez um espetáculo no Espaço Mapati sobre essa turma espalhafatosa e, desde aquela época, Tereza Padilha se interessou em trabalharem este tema juntas.

Mas os caminhos levaram Cibele para o cinema, mais intensamente, onde também foi, além de diretora, atriz, roteirista e ganhadora de diversos prêmios. Sua última incursão no teatro se deu em 1998. “Comecei a sentir uma vontade muito grande de fazer alguma coisa no teatro, resgatar esse trabalho diferente que é o teatro e procurei a Tereza; daí, juntou a “fome com a vontade de comer” e a Tereza falou que estava trabalhando em um projeto que era exatamente o que eu procurava, algo que remetia à Idade Média e pensamos num espetáculo que não fosse um espetáculo de bufões, mas que tivesse os bufões como elementos”, conta Cibele.

Ela também explica que Charivari não é um trabalho em que ela recebeu o texto pronto, mas uma obra foi construída, com os atores inclusive. Os figurinistas, diretor musical e equipe técnica já foram escolhidos A peça terá música, teatro, circo e dança. E a diversão é o principal objetivo, já que, além do desejo de voltar ao teatro, Cibele quer mostrar a sua arte ao filho de 5 anos. “Quero fazer um espetáculo que seja divertido e encantador, para o meu filho e para todas as outras crianças”, finaliza a diretora.

O espetáculo também irá abrir os preparativos para as comemorações dos 25 anos da Cia Teatral Mapati, que acontece em 2016. Para Tereza Padilha, a escolha do tema do Charivari tem tudo a ver com a proposta, desde os primórdios do grupo. “Nesses últimos 25 anos, o Mapati vem-se constituindo em recurso, em infraestrutura à disposição de artistas e grupos brasilienses, os mais diversos, e tem servido, também, como morada artística de crianças e jovens de todas as classes sociais”, declara Tereza.

A Cia Teatral Mapati

Fundada pela atriz e diretora teatral Tereza Padilha que é Grã Mestra da Cultura, a Cia Teatral Mapati e o Teatro Mapati realizam projetos artísticos e culturais há quase 25 anos em níveis: local, regional e nacional com o foco no teatro, tendo visitado mais de 400 cidades brasileiras em um de seus projetos denominado Arte Sobre Rodas com o caminhão que vira palco. Com isso, a Cia Teatral Mapati ganhou notoriedade nacional, tendo sido citada nos maiores veículos de imprensa nacional e participado de programas de TV, como o Programa do Jô da TV Globo. A Cia Teatral Mapati conta atualmente com 17 (profissionais disponíveis nas áreas de artes cênicas, entre artistas e técnicos. Em 2012, realizou exitosa temporada artística na cidade de Luanda, Angola e, além disso, encenou na Torre de TV de Brasília, para cerca de 18 mil pessoas em 10 dias, o espetáculo O Auto do Divino Nascimento. Também em 2012, seu espaço cultural foi premiado pelo Ministério da Cultura como Modelo de Gestão – Iniciativa Empreendedora e Inovadora.

 

Fonte:

Deixe um comentário