Castigo pode se repetir 24 anos depois

Izalci vs Cristovam. Fotos: Júlio Pontes

O deputado Izalci Lucas (PSDB) sente-se traído pelo grupo que o lançaria candidato a governador, do qual fazia parte Cristovam Buarque (PPS). Sem espaço, o tucano concorre ao Senado e está a um passo de tirar o mandato de Cristovam.

Repetição – Caso isto ocorra, estará se repetindo o que aconteceu em 1994. José Roberto Arruda contava com o apoio de Joaquim Roriz para disputar o Buriti. Foi preterido em prol de Valmir Campelo. Este perdeu para Cristovam Buarque e Arruda tomou a vaga de Márcia Kubstcheck, à época, a preferida de Roriz.

Saco de pancada – Nas hostes petistas, embora Wasny de Roure e Marcelo Neves ainda estejam distantes dos líderes, a queda de Cristovam é comemorada como vitória. Marcelo Neves continuará batendo no senador, enquanto Wasny trabalhará propositivamente para tentar se eleger. Mas se ressente da falta de empolgação da militância do partido.

Lembrete – No PT Cristovam é tido como traidor desde o impeachment de Dilma Roussef, em 2016.

Fonte:

2 Responses

  1. O golpe foi claro e o Cristovam Buarque participou dele. Agora, mesmo ele declarando que o voto a favor do impeachment foi para o país ter governabilidade, poucos estão acreditando.

  2. Acredito que a choradeira, tanto dos integrantes de alianças de pés de barro, quanto da esquerda candanga emburrecida com Cristovam é puro mimimi. O trabalho de Cristovam, ao longo desse anos, se consolidou como ferrenho defensor da educação. A prova do seu trabalho nesse propósito está a defesa da implantação do piso nacional do magistério, minimo. É claro que ainda falta muita coisa para uma categoria de profissionais que é responsável por educar um país dirigido por espertalhões que se aproveitam dos eleitores menos esclarecidos para manipular ou promover tendências ao seu voto.

Deixe uma resposta para João Mura Cancelar resposta