Carma, reparação e libertação

No passado, pessoas eram arremessadas das montanhas. Hoje, caem com aviões. Antigamente, enterravam suas vítimas vivas. Agora, são vítimas nos terremotos e desmoronamentos. No passado, cortavam tendões dos escravos fujões. Hoje, andam se arrastando. No passado, exploravam e maltratavam os pobres. Hoje, são mendigos e maltratados nas ruas. No passado, usavam a língua para caluniar. Hoje, são surdos-mudos.

No passado, Usavam os braços para matar e ferir. Hoje, nascem sem braços ou perdem-nos ao longo da vida. No passado, impediam os pobres de estudar.

Hoje, não podem estudar ou aprender. No passado, batiam, humilhavam e maltratavam mulheres. Hoje, são mulheres que não aceitam o corpo, são vítimas de discriminação ou lutam por direitos femininos. No passado, abandonaram os bons maridos atrás de aventura. Hoje, não encontram alguém para casar-se. No passado, abandonaram os filhos. Hoje, nascem estéreis. No passado, assassinaram pessoas nos melhores momentos da vida. Hoje, são assassinados ou morrem nos melhores momentos de suas vidas. No passado, suicidaram. Hoje, além de doentes, morrem do mesmo jeito que suicidaram.

Tudo é armazenado no inconsciente, mas o infrator só liberta-se em definitivo quando o mal feito é reparado. Quem matou, dê vida. Quem separou, ajunte. Quem destruiu, construa. Quem quebrou ossos, emende. Quem entristeceu, alegre. Quem roubou, faça caridade material. Quem desanimou, anime.

Como posso saber em que preciso reparar? Escute seu coração, seus desejos, seus sonhos e vá em frente. Iniciado com disposição, os meios aparecem, juntamente com uma alegria diferenciada.

Ao salvar mais de mil judeus da morte do nazismo, Shindler chorou por não ter podido salvar mais. O choro indica que ele estava fazendo a reparação certa. Este é o significado do ensinamento de Jesus para Madalena: “os teus pecados te são perdoados porque você muito amou” (reparou). O amor ou reparação anula a multidão de pecados, como escreveu o apóstolo Pedro.

Deixe um comentário