Capital puxa a fila

Real Brasília. Foto: Ricardo Botelho

Sem jogos desde 18 de março em consequência da quarentena preventiva à pandemia do novo coronavírus, a incerteza sobre o retorno do Candangão preocupa os clubes, principalmente os que não disputam outros campeonatos em 2020. A situação se agrava porque a maioria dos jogadores tinhacontrato apenas até o fim de abril.

Nas últimas semanas, a Federação de Futebol Brasiliense tem acompanhado as decisões de outros estados, mas ainda não anunciou a forma oficial ou qualquer plano de volta aos treinos e jogos. No entanto, o Capital se antecipou e sugeriu um protocolo de segurança em 9 etapas.

Veja os detalhes da proposta:

● Isolamento: Todas as partidas realizadas com portões fechados;

● Testes rápidos: A Coruja propõe que sejam feitos testes sete dias antes do retorno dos jogadores aos treinos, com uma segunda rodada 72h antes da volta das partidas do Candangão. Em caso de positivo, haverá uma quarentena de 15 dias;

● Prevenção: Obrigatoriedade de uso de máscaras em todos os ambientes, exceto em treinos e jogos. Uso e higienização individual de materiais esportivos e pessoais. Atletas lavariam e iriam aos treinos e jogos uniformizados;

● Ambientes: Em estádios e centros de treinamento, seria autorizado somente o uso dos ambientes de extrema necessidade. Os vestiários teriam de ser utilizados por grupos pequenos. Banheiros, boxes e salas de musculação teriam de ser higienizados com frequência;

● Atendimento médico online, fisioterápico e semelhantes: Realizados conforme orientações da Anvisa e de medidas de prevenção e controle adotadas durante a assistência aos casos suspeitos ou confirmados de coronavírus;

● Nutrição: Refeições realizadas fora dos locais de treinamento. Hidratação e suplementação será feita pelos jogadores em locais individuais;

● Transporte: Se necessário o uso, haverá higienização após o percurso. O espaçamento mínimo é de duas fileiras, de forma alternada entre as colunas e com uso obrigatório de máscara;

● Medição de temperatura: deverá ser aferida no carro dos atletas ou na entrada dos treinos e jogos;

● Atividades: Treinos serão com pequenos grupos de atletas, em turnos diferentes. A sugestão é que as atividades sejam separados entre goleiros, laterais, zagueiros, meio-campistas e atacantes, com distanciamento de 2m.

O protocolo elaborado pelo Capital também traz a sugestão das datas de cada fase: 

18/7 – Encerramento da 1ª fase

22/7 – Jogos de ida das quartas de final

25/7 – Jogos de volta das quartas de final

29/7 – Jogo de ida das semifinais

01/08 – Jogo de volta das semifinais

05/08 – Jogo de ida da final

08/08 – Jogo de volta da final

Também sugere um limite de 113 pessoas envolvidas em cada jogo, contando a delegação dos dois clubes, arbitragem imprensa, ambulância, gandulas, segurançapública e privada, limpeza, maqueiros, apoio e delegado.

Pressa – Em entrevista ao Correio Braziliense, o presidente da Federação de Futebol do DF criticou a pressa dos clubes de voltar o campeonato e citou o possível lockdown na Ceilândia. “A cidade está quase fechando e querem voltar a jogar futebol?”, questionou Daniel Vasconcelos. Ceilândia registrou, até quinta-feira (4), 1.375 casos e 38mortes por covid-19. É o maior índice de todas as regiões administrativas do DF.

Deixe um comentário