Brasília se une numa grande corrente do bem contra a covid-19

No Distrito Federal, organizados em coletivos, inúmeros grupos estão arrecadando, recebendo e distribuindo alimentos, remédios, vestuário, dinheiro e outros donativos. Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

Se alguém lhe disse que o novo coronavírus era uma “gripezinha”, lhe chamou para voltar às ruas e engrenar a economia, lhe enganou. A tragédia chegou silenciosa, em março, mas, na segunda semana de abril, pôs seu motor em alta velocidade.

Ninguém estava desprevenindo. Cientistas e médicos do mundo inteiro avisaram que o contágio, no Brasil, seria entre março e abril e que, o número de mortes seria assustador a partir de maio e junho para quem não respeitasse o isolamento.

Quinze dias antes de maio chegar, a covid-19 escancara o nível de sua letalidade. As UTI de São Paulo e do Ceará já estão com 100% de sua capacidade esgotada. Os casos graves aumentam em velocidade assustadora. Em São Paulo, o governador João Dória foi a público, na quinta-feira (16), pedir ajuda para levar pacientes graves aos hospitais de outros municípios.

Sem registros reais e com subnotificação, porque o Presidente da República não tomou e nem quer tomar as providências necessárias, a covid-19 ganha livre as terras do Brasil. A pandemia mal engatou a terceira marcha e o País já se ajoelha.

Todavia, à medida que a velocidade dela aumenta e Jair Bolsonaro se ocupa de politizar o problema sanitário, pessoas e entidades se unem para colaborar com a população mais vulnerável.

No Distrito Federal, organizados em coletivos, inúmeros grupos estão arrecadando, recebendo e distribuindo alimentos, remédios, vestuário, dinheiro e outros donativos. Também procuram ajudar trabalhadores pobres, desempregados, ambulantes, moradores de rua, apenas para que essas pessoas não precisem de sair de casa.

Enquanto a covid-19 apressa o passo para ceifar vidas, a corrente do bem amplifica sua ajuda humanitária para quem perdeu renda com a quarentena. Confira. E, se puder, associe-se a ela.

Planaltina

UnB – Campus de Planaltina – Estudantes de biologia inscritos no Programa de Educação Tutorial criaram um grupo no WhatsApp para responder dúvidas e desmistificar notícias falsas acerca da pandemia do novo coronavírus. As questões devem ser enviadas das 8h às 12h para o chat https://chat.whatsapp.com/LcwEzpTfFLGAVHHF4vgJeo

Park Way

300 máscaras foram produzidas para proteger os hóspedes do abrigo. Foto: Divulgação

Máscaras das bordadeiras – Dois coletivos de bordadeiras, o Park Way Borda e Vargem Bonita Borda, estão ajudando o Lar dos Velhinhos Santa Madalena, produzindo 300 máscaras para proteger hóspedes do abrigo.

Grupo criado por militantes de várias causas sociais juntaram R$ 36.111 em doações, 9,7 toneladas de alimentos e material de limpeza, transformadas 817 cestas básicas. Foto: Divulgação

Corrente de solidariedade – Grupo criado por militantes de várias causas sociais. Angariaram R$ 36.111 em doações, 9,7 toneladas de alimentos e material de limpeza, transformadas 817 cestas básicas distribuídas a 3.300 pessoas de 38 comunidades carentes do DF e Entorno. De refugiados haitianos a moradores de rua. Quem puder contribuir, as doações são na Agência do Banco do Brasil 3598-X, Conta Corrente 8622-3. Pede-se que o comprovante de depósito seja enviado para o zap (61)98118-6296. A prestação de contas ocorre no Instagram.com/correntedesolidariedadedf

35 famílias já foram beneficiadas pela ação da Fazenda Água Limpa, da Unb. Foto: Divulgação

Fazenda Água Limpa – É da UnB. Localizada no Park Way, está apoiando famílias carentes. Tem distribuído maracujá, banana, uva e hortaliças produzidas nas atividades de ensino e pesquisa. Já foram beneficiadas 35 famílias. O próximo grupo a ser atendido são portadores de deficiência visual vinculadas à Associação Deficiente Visual na Trilha, o Projeto DV na Trilha.

Guará e Taguatinga

Rede de Solidariedade – Recolhe dinheiro e compra alimentos, material de limpeza e higiene para famílias pobres em isolamento social. Cerca de 120 famílias já foram atendidas. O dinheiro deve ser depositado na Conta Corrente 40.777-1, Agência 3599-8, do Banco do Brasil, em nome de Centro de Estudos e Assessoria (CEA). Doações em alimentos, materiais de limpeza e higiene podem ser entregues na QE 13, Conjunto 13, Guará II. Telefone: (61) 992729011. E na QNM 36 – Conj. T Casa 44 – M Norte – Taguatinga.

Asa Sul

O Lar Bezerra de Menezes arrecada dinheiro e alimentos não perecíveis para auxílio das famílias atendidas pela instituição. Foto: Reprodução/Redes Sociais

Lar Bezerra de Menezes – Abriga crianças de 0 a 10 anos encaminhadas pela Vara da Infância e da Juventude. Arrecada dinheiro para comprar alimentos, itens de higiene e limpeza para as famílias atendidas pela instituição e alimentos não perecíveis e itens de higiene para famílias que perderam a renda devido à quarentena. Doações podem ser feitas presencialmente no Cartório JK (W3 Sul – Quadra 505) ou por depósito bancário ao Lar Bezerra de Menezes, CNPJ: 13.898.819/0001-60, Banco do Brasil, Agência 3598-0, Conta corrente: 38867-0

A LBV montou uma campanha para arrecadar alimentos para as famílias afetadas pelo novo coronavírus. Foto: Reprodução/Redes Sociais

LBV – Arrecada doações para famílias afetadas pelo novo coronavírus. A entidade recebe alimentos não perecíveis, cestas básicas e kits de limpeza. Doações podem ser entregues no Centro Comunitário de Assistência Social da LBV, no SGAS 915 lote 15. A entidade se oferece para buscar as doações. Informações no site lbv.org

Vem Vencer – O cursinho Vem Vencer criou uma frente de produção de sabão líquido na Cidade Estrutural para doar a comunidades carentes. Está precisando de óleo de cozinha usado, soda cáustica e garrafas pets. Falar com a professora Deusinha, Telefone (61) 98409-0464.

As ajudas financeiras auxiliam na compra de cestas básicas para migrantes e refugiados que perderam seus ganhos e trabalhos. Foto: Divulgação

Instituto Migrações e Direitos Humanos – Está recebendo doações financeiras para montar cestas básicas para migrantes e refugiados que perderam seus ganhos em trabalhos informais ou atividades suspensas. Depósitos podem ser feitos no Banco do Brasil, Agência 1419-2, Conta Corrente 121.578-7. CNPJ 03.591.517/0001-90

Recanto das Emas

Arrecadação de Cestas básicas feitas pelos apoiadores da causa da Associação Viva Vida Kardec. Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Associação Viva Vida Kardec arrecada alimentos, produtos de limpeza e doações em dinheiro. Monta cestas básicas nos mercados da cidade para facilitar a distribuição. Contato: (61) 98118-1087. Rede social: @Vivavidakardec

Lar de Velhinhos

Várias unidades de acolhimento do DF estão recebendo doações de alimentos, materiais de limpeza e dinhero. Foto: Agência Brasil

Com filiais em várias cidades, acolhe pessoas de terceira idade. As unidades estão recebendo doações de alimentos, materiais de limpeza e dinheiro. Pelo cancelamento das visitas, as doações caíram, mas a necessidade continua alta. Contatos:

Unidade de Acolhimento para Idosos (Unai) – Endereço: QNF 24 Área Especial, Taguatinga Norte. E-mail: [email protected] Telefones: 3245-5825 e 3346-7960

Unidade de Acolhimento para Adultos e Famílias (Unaf) – QS 9, lotes 1/7, Águas Claras. [email protected] Telefones: 3356-4390 e 3356-4872

Casa do Candango – Quadra 14, AE 17/18, Módulo 1, Sobradinho. E-mail: [email protected] Telefone: 3591-1051.

Centro Espírita Fraternidade Allan Kardec (Cefak)– Programa para aquisição de alimentos, remédios, material para enxovais de bebês e curso profissionalizante, gás e material de copa, material médico e odontológico, aquisição de móveis, aparelhos e utensílios, etc. Taguatinga Sul, avenida Samdu, em frente à igreja Nossa Senhora de Fátima. Contato: (61) 3563-2495.

Deixe um comentário