Brasileiros homenageados no prêmio da Fifa

Falcão é o maior craque do futsal de todos os tempos. Foto: Divulgação

Uma das maiores premiações do futebol mundial, o evento realizado pela Fifa nesta segunda-feira, em Zurique, na Suíça, premiou os melhores jogadores e treinadores da última temporada. Com Cristiano Ronaldo sendo consagrado com sua quarta conquista, a entidade também homenageou grandes nomes do futebol brasileiro.

A primeira homenagem do dia foi ao eterno “Capita”. Capitão do tricampeonato mundial com a camisa da Seleção Brasileiro, Carlos Alberto Torres faleceu no dia 25 de outubro de 2016, devido a um infarto fulminante. Além do ídolo brasileiro, o ex-jogador e treinador Johan Cruyff também foi homenageado pela entidade. O eterno craque holandês marcou época como jogador do Ajax e treinador do Barcelona.

Na sequência, o ex-jogador Carles Puyol subiu ao palco para entregar o prêmio “fair-play” ao presidente do Atlético Nacional, da Colômbia, pela postura do clube após o trágico acidente que vitimou parte da delegação da Chapecoense. Um vídeo emocionante com imagens de jogos e conquistas do clube catarinense foi transmitido pela Fifa.

Outro ídolo do esporte brasileiro premiado no evento foi o camisa 12 da seleção brasileira de futsal, Falcão. O eterno craque recebeu um prêmio por sua carreira excepcional no esporte. Quem entregou o troféu ao brasileiro foi o ex-atacante do Milan, Andriy Shevchenko . Muito emocionado, Falcão agradeceu o espaço dado pela Fifa para divulgar o futsal.

Uma das esperanças do país era a vitória de Marlone, meio-campista do Corinthians, na disputa do “Prêmio Puskas”, que consagra o gol mais bonito do ano. No entanto, o jogador do Timão acabou derrotado pelo malaio Mohd Faiz Subri.

Outro momento da celebração onde o Brasil esteve presente foi na disputa de melhor jogadora de 2016. Cinco vezes premiada, a brasileira Marta acabou perdendo o troféu para a norte-americana Carli Lloyd.

Uma das principais ausências da noite foi dos jogadores do Barcelona. Um dos finalistas do prêmio vencido por Cristiano Ronaldo, Messi, maior vencedor da história da categoria, não compareceu. Além do argentino, Iniesta, Piqué e Suárez, premiados no “Time dos Sonhos”, também não estiveram no evento.

Como justificativa, o Barcelona divulgou comunicado afirmando que os jogadores estariam concentrados para o duelo contra o Atlético Bilbao, nesta quarta-feira, pela Copa do Rei.