Brasil está entre as 45 melhores equipes do mundo de programação

Photographer: Bob Smith

Já são conhecidos os resultados do International Collegiate Programming Contest (ICPC). A final da maior maratona de programação do mundo, organizada, este ano, pela Universidade do Porto, em Portugal, contou com a participação de seis equipes do Brasil. A Universidade São Paulo – Campus de São Carlos, a Universidade Federal de Pernambuco e a Universidade de Brasília conquistaram o 41.º lugar, num total de 135 equipes de 47 países em competição. Já o Instituto Tecnológico de Aeronáutica conquistou o 62.º lugar da tabela classificativa. As restantes universidades (o Instituto Militar de Engenharia e a Universidade de Campina Grande) arrecadaram menções honrosas. 

No total, foram cinco horas contínuas, resolvendo 11 problemas de programação do cotidiano, sobre lojas de azulejos, construção de pontes ou organização de sinais de trânsito. Utilizando linguagem de programação C++ ou Java e recorrendo a lógica e “criatividade algorítmica”, os participantes ultrapassaram uma verdadeira “disputa contra o tempo”. As três equipes brasileiras com os melhores resultados responderam, de forma eficiente e correta, a cinco desses desafios, juntamente com outras 18 universidades mundiais. A competição – que este ano, e pela primeira vez, se realizou em Portugal – juntou mais de 400 jovens considerados os melhores e mais brilhantes talentos na área da programação em todo o mundo.

Universidade de Moscou revalida o título de campeã mundial

A grande vencedora da 43.ª edição do ICPC foi a Universidade de Moscou, tendo sido ainda a campeã da região Eurásia Norte e a primeira a resolver dois dos desafios. Esta é a primeira instituição de ensino que consegue ganhar dois anos seguidos. O Instituto Tecnológico de Massachusetts (vencedores da região da América do Norte), a Universidade de Tóquio (campeões da Ásia Pacífico) e a Universidade de Varsóvia, na Polónia (a melhor equipe da Europa) receberam também medalhas de ouro.

Já as medalhas de prata contemplaram a Universidade Nacional de Taiwan (Taiwan), a Universidade de Breslávia (Polónia), a Universidade Nacional de Seoul (Coreia do Sul) e a Universidade de Tecnologia Kim Chaek (equipe da Coreia do Norte que foi também campeã da região Ásia Oriental). Finalmente, o bronze foi entregue à Universidade de Tecnologia de Sharif (do Irã e vencedores da região Ásia Ocidental), ao Instituto de Física e Tecnologia de Moscou (Rússia), à National Research University Escola Superior de Economia (Rússia) e à Universidade Chinesa de Hong Kong (Hong Kong).

As finais mundiais do ICPC realizaram-se de 31 de março a 5 de abril de 2019, no Porto, em Portugal. No evento, participaram os melhores estudantes universitários na área da programação de computadores, engenharia e matemática de todo o mundo, vindos de mais de 45 países. O ICPC tem atraído uma atenção crescente por parte de grandes marcas tecnológicas, sendo uma oportunidade única para os alunos revelarem o seu talento às empresas que aproveitam o campeonato para recrutar as “mentes mais brilhantes”. A final de 2020 realiza-se entre 21 e 26 de junho, em Moscou, na Rússia.

Deixe um comentário