Brasil vence Alemanha em amistoso no Estádio Olímpico de Berlim

O mascote da seleção canarinho desfilou em Berlim arrancando aplausos dos torcedores

Quase quatro anos após a maior derrota da história do futebol brasileiro, quando a seleção brasileira perdeu por 7 a 1 na Copa de 2014, o time canarinho voltou a estar diante da Alemanha, em jogo amistoso nesta terça-feira (27), desta vez com uma vitória. Com um gol de Gabriel Jesus aos 37 minutos do 1º tempo, diante de 72 mil torcedores no Estádio Olímpico de Berlim, o Brasil confirmou o ótimo momento da equipe na preparação para a Copa da Rússia, que começa daqui a pouco mais de dois meses.

Seguro, o time comandado por Tite começou o jogo um pouco temeroso, mas com 10 minutos de partida equilibrou o confronto, se mantendo firme na marcação e dando poucas chances de ataque aos alemães. Com o jogo controlado em campo, a seleção teve as melhores chances e, no final do 1º tempo, o craque Gabriel Jesus, sozinho na área, recebeu um cruzamento de Willian pela esquerda e cabeceou no meio do gol. O goleiro Trapp chegou a espalmar a bola, mas ela cruzou a linha de fundo e abriu o placar.

No segundo tempo, o Brasil intensificou a marcação e passou a roubar bola dos alemães no próprio campo de ataque. Pelo menos duas grandes chances de gol foram perdidas: aos 9 minutos, em bola batida por Willian e recuperada por Paulinho no rebote, para grande defesa de Trapp. Aos 22, em sobra de bola após falhas do goleiro alemão e do zagueiro Boateng, Gabriel Jesus finalizou de cabeça novamente, com o gol vazio, mas a bola foi para fora. Daí em diante, a partida perdeu um pouco de ritmo e o Brasil manteve a posse de bola para garantir o placar favorável.

“Foi mais um jogo de raça, com gol de raça. A gente sofreu no momento que tivemos que sofrer e jogamos com a bola no pé”, afirmou Gabriel Jesus à TV Globo, ao final da partida. Para o craque, de apenas 20 anos, o resultado mostra a consistência da equipe. “A gente vem fazendo um excelente trabalho, treinando e jogando bem. O resultado é consequência do que a gente tem feito”, acrescentou.

 Nenhuma das equipes estava com força máxima. Do lado brasileiro, o principal desfalque foi Neymar, que se recupera de uma cirurgia no pé direito. Do lado alemão, o número de desfalques do técnico Joachim Low foi maior, com destaque para as ausências de estrelas como Ozil e Mueller, além do goleiro titular, Neuer.
Até a Copa – A seleção brasileira volta a se reunir no dia 21 de maio, já de forma definitiva, rumo à Copa do Mundo da Rússia. Os jogadores se apresentarão no Centro de Treinamento da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em Terezópolis (RJ), onde permanecem até o dia 27 do mesmo mês, passando por exames médicos e treinamentos. De lá, o time segue no dia 28 para Londres, na Inglaterra, onde fica em preparação até o dia 8 de junho. Ainda na capital inglesa, o Brasil enfrenta, em jogo preparatório, o time da Croácia, no dia 3. No dia 9, jogadores e equipe técnica embarcam para Viena, na Áustria, ondem jogam com a seleção do país no dia 10 de junho, no que será o último amistoso antes do Mundial.

A chegada na Rússia está prevista para o dia 11 de junho, na cidade de Sóchi, que será a base da seleção no país. O Brasil está no grupo E da Copa, composto também por Costa Rica, Suíça e Sérvia. A estreia na Copa  será no dia 17 de junho, às 15h, contra os suíços, na arena de Samara.

Jogadores – A convocação do time brasileiro que vai a Copa deve ocorrer no dia 16 de maio. De acordo com o técnico Tite, ainda restam sete vagas entre os 23 jogadores que comporão a equipe. A lista dos 16 já confirmados foi antecipada pelo treinador em fevereiro. Estão garantido no Mundial os 11 titulares habituais (Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda, Marcelo, Casemiro, Paulinho, Renato Augusto, Coutinho, Neymar e Gabriel Jesus), além de quatro reservas (Ederson, Thiago Silva, Fernandinho e Willian).

Fonte: , , ,

Deixe um comentário