Brasil condena escalada de violência no Sudão

O Ministério das Relações Exteriores (MRE/Itamaraty) emitiu nota oficial  mostrando preocupação com a violência no Sudão do Sul.

Desde o último sábado (15), tropas leais ao ex-presidente do país, Riek Machar, enfrentam o governo do atual mandatário, Salva Kiir, em confrontos sectários que já resultaram na morte de ao menos 500 mortos, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU).

Na quinta-feira (19), três soldados de tropas de paz da ONU foram mortos em um atentado à uma base onde civis de uma etnia rival se refugiavam. Na sexta-feira (20), rebeldes alvejaram um avião norte-americano que sobrevoava a cidade de Bor.

Rico em petróleo, o Sudão do Sul é o país mais jovem do mundo, separado do Sudão após referendo votado em 2011. Líderes mundiais temem que a escalada de violência prenuncie o início de uma guerra civil no país.

Confira a íntegra da nota emitida pelo Itamaraty:

O governo brasileiro acompanha com preocupação os graves enfrentamentos no Sudão do Sul, que já resultaram na morte de centenas de civis. Nesse contexto, condena firmemente o ataque a base da ONU ocorrido em Okobo de que decorreu a morte de dois capacetes azuis. O Brasil expressa sua solidariedade ao povo e ao governo do Sudão do Sul, bem como aos familiares das vítimas.

O Brasil reitera o repúdio ao uso da violência como forma de dirimir disputas e conclama as partes envolvidas a buscar solução pacífica por meio do diálogo e em ambiente que garanta a segurança da população civil. Associa-se, assim, às declarações do Conselho de Segurança e do Secretário-Geral das Nações Unidas de apoio integral aos esforços da ONU, da União Africana e da Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD) com vistas a contribuir para pronta solução política da crise.

O governo brasileiro acompanha com atenção a situação dos observadores militares e policiais brasileiros que atuam na Missão das Nações Unidas no Sudão do Sul (UNMISS).

 

Fonte:

Deixe um comentário