Black Friday Brasil

Não existe!

Promessa de grandes descontos se torna mais uma grande farsa do comércio nacional
Nos Estados Unidos, o Dia de Ação de Graças é comemorado com uma grande promoção no comércio. As lojas dão descontos inimagináveis e a data é chamada “Black Friday”, ou sexta-feira preta. Os consumidores chegam a acampar na frente dos estabelecimentos e poupam para aproveitar a data.
No Brasil, desde 2010, tenta-se imitar a tradição americana, a exemplo do que acontece com muitos outros costumes, como o Haloween. Enfim, segundo a revista americana Forbes, “se nos EUA a Black Friday é conhecida como o dia dos descontos, no Brasil ela virá a ser conhecida como ‘o dia da fraude’”.
O publicitário Bruno Feitosa está fazendo uma pesquisa para comprar um novo celular. Bruno não quis esperar até a Black Friday para fechar o negócio, mas foi conferir para saber se poderia ter economizado. “Nas Casas Bahia, mesma loja que eu comprei o celular, na Black Friday estava mais caro. Paguei R$ 615,22, e na sexta estava R$ 899”, conta.
Em 2012, o site Reclameaqui.com registrou mais de oito mil reclamações de consumidores sobre a Black Friday. Neste ano, as lojas que receberam mais queixas foram:
– Extra.com.br
– Ponto frio loja virtual
– Casas Bahia – loja virtual
– Americanas.com
– Submarino
– Centauro – loja virtual
– Walmart – loja virtual
– Saraiva (livraria, editora, virtual)
– Magazine Luiza – loja virtual
– Brastemp/ Consul – loja virtual

Deixe um comentário