Basquete das Américas

O NBB se aproxima dos play-offs. Todos esperam uma final Brasília x Flamengo, que brigam cesta a cesta pela liderança da fase de classificação. Mas várias equipes podem surpreender a partir dos mata-mata, casos de Uberlândia, Pinheiros, Bauru e Franca.

Mas nos últimos dias os olhos dos amantes do basquete estiveram bem longe daqui:  os melhores times nacionais estiveram envolvidos em outra importante competição: a segunda fase da Liga das Américas. E, ao contrário do torneio local, onde lideram desde o início, os rubronegros decepcionaram, perderam os três jogos que disputaram – inclusive para o desconhecido Mavort, do Equador – e estão fora da disputa.

Mas outros brasileiros estão fazendo bonito! O Pinheiros, de São Paulo e, claro, o nosso UniCeub/Brb/Brasília seguem na briga. Os candangos são a única equipe nacional que já conquistou esse título: há quatro anos, bateram os mexicanos do Halcones na casa do adversário, e agora partem em busca do bi. Para chegar ao título o Brasília vai enfrentar, além do Pinheiros, os portorriquenhos do Capitanes de Arecibo (vice em 2010/11) e os argentinos do Lanús.

O caminho para o Final Four parecia difícil. As quartas de final foram disputadas em Cancún, e no primeiro jogo, após duas prorrogações, derrota doída para o Capitanes por 108 a 106.  A equipe de José Carlos Vidal não podia mais perder. No segundo jogo, quem brilhou foi um coadjuvante. O veterano Alírio, 35 anos, marcou vinte pontos e comandou a tranquila vitória sobre o São José, 82 a 61.

No último domingo, as quatro equipes do grupo chegaram em igualdade de condições à última rodada, todas com uma vitória e uma derrota. Os vencedores dos dois últimos jogos  iriam se juntar a Pinheiros e Lanús, os classificados da outra chave. Ou seja, poderíamos ter um final four com três brasileiros e um argentino, caso Brasília e Pinheiros vencessem seus confrontos. Mas os paulistas bobearam, e após comandar o placar  durante praticamente todo o jogo, perderam por um ponto para o Capitanes, com uma cesta a quatro segundos do fim.

Restava ao Brasília salvar a honra dos brasileiros, justamente contra os atuais campeões da América e donos da casa, os mexicanos do Pioneros de Quintana Roo. O lobo-guará começou arrasador, e abriu logo vinte pontos de frente. Mas no último quarto, a partida ganhou contornos dramáticos. A arbitragem “caseira” eliminou o astro Alex Garcia com cinco faltas, a torcida local empurrou, os brasilienses se desestabilizaram e o Pioneros  encostou no placar.  Mas aí a experi

ência de Nezinho e Giovannoni falou mais alto. O Brasília se recompôs, freou a reação dos mexicanos e carimbou sua vaga na final.

 O quadrangular decisivo será entre os dias 5 e 7 de abril, ainda sem local definido (São Paulo, Arecibo e Brasília estão na disputa para sediar os jogos), e a torcida é para que o Uniceub/Brb/Brasília cada vez mais se consolide como a grande força do basquete brasileiro e latinoamericano.

Deixe um comentário