Bares do barulho infernizam Águas Claras

Moradores e empresários da Área de Desenvolvimento Econômico (ADE) de Águas Claras andam indignados com o incômodo causado pela Monkey Loung Bar e pela Hookan Noke Laud Bar. As duas casas noturnas, que funcionam no lote 17 do Conjunto 5, tocam música eletrônica praticamente todas as noites e ainda permitem que frequentadores liguem som automotivo em alto volume.

Os vizinhos passam noites em claro e quando chamam a polícia raramente são atendidos. Já foram registradas ocorrências na 21ª Delegacia. Além da reclamação contra o barulho, eles denunciam o comércio de drogas como maconha, crack e cocaína. “Aqui não tem lei. Como a gente pode trabalhar no dia seguinte depois de uma noite acordado com essa barulheira?”, reclama Juradi Siqueira, que trabalha e mora ao lado das duas casas noturnas.

Os vizinhos já procuraram a Administração Regional de Águas Claras pedindo providências contra a poluição sonora, inclusive com o uso de som automotivo em altos decibéis. Mas dizem que não houve qualquer providência. Sentindo-se desamparados pelo Poder Público, os moradores se organizam para contratar um advogado para abrir um processo contra os proprietários dos estabelecimentos e contra o governo, por omissão na resolução do problema.

Na madrugada de domingo (4) para segunda-feira, após várias chamadas, uma guarnição da Polícia Militar chegou ao local depois das quatro horas da madrugada. Já ocorria a segunda briga da noite entre frequentadores. Os PMs dispararam spray de gás de pimenta para encerrar a confusão e todos dispersaram. O dono dos bares tinha saído minutos antes com seu carro, conforme mostram vídeos gravados pelos moradores.

Deixe um comentário