Baile do Met reúne celebridades

Aconteceu no dia 6 de maio, o Costume Institute Exhibition at Metropolitan Museum Gala, ou, como é mais conhecido, o Baile do Met, que reúne personalidades do mundo da moda, do cinema, da música e da arte. O baile acontece todo ano após o término da primeira temporada das fashion weeks.

O evento marca a abertura de exposições que têm o intuito de promover e homenagear a moda. Nesta edição, o tema da exposição, que vai até o dia 14 de agosto, é “Punk: chaos to couture” (Punk: do caos à alta-costura).

A exposição foca na evolução do punk, que desde sempre se destacou pelo caráter autêntico e ousado, tanto na música e figurino, quanto no estilo de vida. Esse movimento, que surgiu em meados dos anos 1970, foi inspirador para muitos estilistas, até mesmo na alta-costura.

O modo de vida muitas vezes autodestrutivo dos que aderiram ao estilo se refletia em suas roupas. Peças que transpareciam originalidade e um ideal de anarquia comum. A preferência punk pela moda improvisada e de baixo custo, como uma camiseta rasgada, estava em plena sintonia com o modo de produção dos estilistas modernos.

— Em uma estranha virada do destino, a ética do ‘faça você mesmo’ se tornou, no futuro, o lema do ‘não há futuro — afirmam os organizadores da exposição. “Ainda que a estética do punk pareça não combinar com a estética da alta-costura, ambos estão definidos pelos mesmos impulsos de originalidade e de individualidade”, acrescentam.

Nas galerias estarão expostos manequins vestidos com modelos de alta-costura inspirados no punk. Outra atração serão os vídeos de diversos roqueiros da época, que poderão ser vistos em grandes telas. Além disso, a música ambiente não deixa a desejar, pois o repertório está repleto de clássicos do rock e do punk.

No baile, o dress code foi punk couture, e muitas celebridades foram a caráter. O que se pôde perceber no tapete vermelho do evento foi a volta com tudo do tomara que caia, que andava meio esquecido, a já conhecida transparência, muitos decotes profundos com uma alça só e recortes  inusitados, renda, tops cropped, mullet, muitos spikes (fazendo jus ao punk), e o super hit, que depois de conquistar as it girls do mundo conquistaram as estrelas do red carpet, o corte assimétrico!

É bom ficar de olho, porque essa tendência está cada vez mais forte e já mostrou que tem potencial para ser o destaque da estação, dominando desde o street style a um evento de gala. A cartela de cores deste ano não seguiu um padrão, transformando o tapete vermelho do baile numa profusão de cores e combinações que dividiram opiniões.

Como todo ano, algumas celebridades se destacaram pelo bom gosto e se tornaram alvo de todos os flashs e comentários. Entre as mais comentadas estava nossa conterrânea Gisele Bündchen, que apostou em um curto ultrassexy vazado com argolas e com recortes estratégicos, assinado por Anthony Vaccarello.

A grande repercussão não foi só pelo já conhecido bom gosto, ou pelo maridão de dar inveja a tiracolo, mas pelo corpo super em forma da modelo, que deu à luz a última filha poucos meses atrás. Para completar, o vestido usado por Gisele está à venda no e-commerce por “míseros” US$ 5.260 (cerca de R$ 10.520, sem as taxas).

Vai encarar?

Por Rebeca Borges

Deixe um comentário